Derrotado em Londres e na Copa América, Mano deixa renovação como herança

Treinador não conquistou os títulos esperados pela CBF, mas colocou os jovens no comando e deixou o cargo quando a seleção começava a evoluir

Mauricio Nadal - iG São Paulo | - Atualizada às

Mowa Press
Mano Menezes foi demitido da seleção brasileira nesta sexta-feira, com 33 jogos no currículo

Anunciado como novo técnico da seleção brasileira em 24 de julho de 2010, após a recusa de Muricy Ramalho, Mano Menezes teve a sua passagem à frente da equipe marcada pelas decepções na Copa América de 2010 e nas Olimpíadas de Londres, neste ano. O técnico  demitido nesta sexta-feira , porém, deixa de herança uma reformulação que derrubou os medalhões da Copa de 2010 e colocou jovens talentos como novos astros do time. 

Você concorda com a saída de Mano Menezes da seleção brasileira? Opine!

Chamado para a seleção brasileira na época em que comandava o Corinthians, Mano Menezes fez a sua estreia na equipe em 10 de agosto de 2010, com a vitória sobre os Estados Unidos, em Nova Jersey, por 2 a 0. Na ocasião, o técnico já iniciou uma renovação entre os convocados, deixando grande parte dos veteranos da Copa do Mundo de 2010 de fora dos escolhidos e promovendo a estreia de nomes como Neymar e Ganso.

Leia mais: Mano Menezes não é mais técnico da seleção brasileira

Com os jovens sendo maioria na equipe, Mano teve seu primeiro grande teste na Copa América de 2011. Só que o Brasil não foi bem, sendo eliminado nos pênaltis pelo Paraguai nas quartas de final, com cobranças erradas de Elano, Thiago Silva, André Santos e Fred.

Veja fotos da passagem de Mano Menezes na seleção brasileira:


Fracasso perdoado, o técnico foi mantido e assistiu à troca de comando na CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Ricardo Teixeira deixou a presidência da entidade e José Maria Marín assumiu em seu lugar, em março de 2012.

Confira ainda:  'Hoje é um dia histórico', diz Romário, sobre a queda de Mano Menezes

Mano também passou incólume pela mudança de chefe e foi encarar seu maior desafio, o ouro nas Olimpíadas de Londres. Após desempenho regular na primeira fase e nos confrontos eliminatórios, a seleção foi derrotada pelo México por 2 a 1 na final, e a medalha de prata aumentou a rejeição ao treinador.

Sem o ouro, mas ainda no cargo, Mano decidiu fazer novos ajustes na equipe. Ele promoveu o retorno de Kaká ao time titular e armou um meio-campo mais solto, com o veterano do Real Madrid ao lado de Oscar, Ramires e Paulinho. O Brasil teve boas atuações contra rivais de menor expressão, como Iraque e Japão, e por pouco não venceu a embalada Colômbia .

E mais: Em agosto, internauta do iG pediu queda de Mano e entrada de Felipão

Quando a equipe parecia caminhar na direção certa, veio a surpreendente demissão. Sem ter conquistado títulos importantes, Mano leva como consolo o bicampeonato do Superclássico das Américas diante da Argentina, em 2011 e 2012. O último deles foi conquistado nesta quarta-feira, após vencer os arquirrivais nos pênaltis por 4 a 3 , em La Bombonera. Foi a despedida.

Demitido dois dias depois do Superclássico, Mano encerra a sua passagem no Brasil com 21 vitórias, seis empates e seis derrotas. O treinador convocou 102 jogadores no total. Neymar foi o artilheiro da era Mano, com 17 gols em 27 jogos. 

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG