Juliano joga no time paulista, mas defendeu time alagoano e insinuou que ex-clube poderia "comprar árbitro" em duelo neste sábado contra o rebaixamento para a Série C

Juliano, goleiro do Guarani, insinuou que presidente do CRB pode pressionar arbitragem
Divulgação
Juliano, goleiro do Guarani, insinuou que presidente do CRB pode pressionar arbitragem

Ex-goleiro do CRB e confirmado como titular do Guarani na partida deste sábado em Maceió, Juliano pode pagar caro por declarações dadas por ele na última quinta.

Leia também:  Super-rodada da Série B pode definir acessos e rebaixados

O goleiro insinuou que os alagoanos poderiam até comprar a arbitragem para tentar evitar o rebaixamento para a Série C do Campeonato Brasileiro. O Guarani tem 41 pontos, cinco acima do CRB, que ainda sonha em se livrar da queda.

Veja a classificação da Série B 2012

Substituto do lesionado Emerson, Juliano falou com a imprensa sobre a pressão que os dirigentes do seu ex-clube poderiam exercer sobre o juiz Sandro Meira Ricci e os bandeiras José Pedro Wanderley das Silva e Lorival Cândido das Flores e acabou repreendido em nota oficial do CRB.

"Já passei algumas coisas para o Vilson Tadei. Tenho alguns amigos lá e falei que a pressão vai ser muito grande. O presidente vai armar guerra, vai fazer promoção de ingressos, vai tentar comprar juiz se for preciso. É complicado jogar no Nordeste e, se não ficarmos espertos, sairemos de lá com uma derrota", afirmou Juliano na última quinta.

Depois da bronca, a cúpula do Guarani agiu rápido e publicou nota de esclarecimento para defender o goleiro. O CRB, porém, já fez um Boletim de Ocorrência por danos morais e calúnia. Juliano terá de prestar depoimento horas antes da partida que será disputada no estádio Rei Pelé, em Maceió. Juliano corre risco de pagar multa por danos morais no valor de R$ 100 mil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.