Kleina vai receber salário até o fim de 2013 mesmo se for demitido do Palmeiras

Pelo contrato válido até dezembro de 2013, o treinador vai receber 50% dos vencimentos em caso de demissão

João Pontes - iG São Paulo |

Gazeta Press
No Palmeiras, Kleina conquistou 43,3% dos pontos disputados no Campeonato Brasileiro

O trabalho de Gilson Kleina no comando do Palmeiras não é ruim. De qualquer forma, o treinador sabe que corre o risco de ser demitido em caso de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. No aspecto financeiro, pelo menos, ele foi precavido quando deixou a Ponte Preta para assumir a vaga de Luiz Felipe Scolari.

Kleina deve seguir no Palmeiras em 2013? Comente a notícia com outros torcedores

No Palmeiras, o treinador recebe R$ 300 mil de salário – o dobro do que ganhava na equipe de Campinas. De quebra, pelo contrato válido até dezembro de 2013, Kleina vai receber 50% dos vencimentos em caso de demissão. Dessa forma, na pior das hipóteses, ele vai continuar embolsando o salário que ganhava na Ponte Preta sem precisar trabalhar.

Além do rebaixamento, a eleição presidencial do Palmeiras, marcada para janeiro de 2013, também representa uma ameaça para o futuro de Gilson Kleina no comando do clube. Alguns conselheiros, por exemplo, acham que o alviverde precisa contratar um técnico mais experiente para não passar vexame na Libertadores.

Leia mais:  Com 99% de chance de cair, Palmeiras precisa vencer todas e secar rivais

“Não posso responder por quem vai decidir nas eleições. O mais importante é ser profissional do primeiro ao último dia. É como disse na apresentação: não sei se minha passagem terá dois, três ou 15 meses, mas quero o nosso melhor”, explicou o treinador.

Contratado após a derrota do Palmeiras no clássico contra o Corinthians, em setembro, Gilson Kleina comandou o Palmeiras em dez partidas do Campeonato Brasileiro e conquistou quatro vitórias, um empate e cinco derrotas – aproveitamento de 43,3% dos pontos disputados.

Veja também:  Mustafá cogita não apoiar ninguém em eleição de 2013

Com esse desempenho desde o começo da competição, o Palmeiras já estaria livre do risco de ser rebaixado. O problema é que o clube do Palestra Itália conquistou apenas 27,7% dos pontos disputados quando Felipão estava no comando. Em 24 partidas, o experiente treinador somou cinco vitórias, nove empates e dez derrotas.


    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: PalmeirasGilson KleinaBrasileirão 2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG