Tirone diz não se importar se for morto por torcedores do Palmeiras após derrota

Com pichações de ameaças no Palestra Itália, presidente diz que "todo mundo morre um dia"

iG São Paulo | - Atualizada às

O presidente do Palmeiras , Arnaldo Tirone, não teve bom senso na entrevista que concedeu após a 20ª derrota palmeirense neste Brasileirão. Acostumado às cobranças da torcida e habituado a ver os muros da sede do clube pichados a cada crise, Tirone disse em tom de deboche que não se importa se ameaças à sua integridade física se confirmarem.  

Leia também:  Fred brilha e confirma título do Flu em meio ao desespero do Palmeiras

“Todo mundo vai morrer um dia. E não me importo de morrer agora, porque se for morto vai ser morrendo pelo Palmeiras. Pelo menos se eu morrer vai sair no jornal que o presidente Arnaldo Tirone morreu”, disse Tirone em claro momento de destempero nos vestiários do estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente, onde o Palmeiras perdeu por 3 a 2 para o Fluminense .

Tirone recebeu ligações e mensagens de texto no celular em tom de ameaça ao longo da última semana. Sua vida estaria em risco em caso de rebaixamento. Os jogadores passaram a ter  seguranças particulares desde então.

“Fomos campeões (da Copa do Brasil) há quatro meses atrás. Tentei acertar. Não sei onde errei. Tivemos alguns ganhos nesses dois anos", comentou. Seu mandato acaba em janeiro e ele prefere não falar de eleições. "Não é o momento agora".

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: palmeirasarnaldo tironebrasileirão 2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG