Celso Barros: um torcedor-investidor entre os heróis do título do Fluminense

Presidente da Unimed carioca é ídolo entre torcedores. Sem ele o elenco campeão brasileiro de 2012 não poderia ter sido montado

iG São Paulo | - Atualizada às

Em poucas ocasiões um personagem que não calça chuteiras, não treina um time e não é sequer funcionário de um clube de futebol consegue atingir o status de ídolo de uma torcida como acontece com Celso Barros, o presidente da Unimed carioca e responsável direto pelos investimentos que levaram seu time do coração, ao segundo título brasileiro em três anos .

Apaixonado pelo Fluminense , o pediatra Celso Barros comanda a unidade carioca da seguradora de saúde há 14 anos. Ela estampa sua marca na camisa do clube desde 1999, ano em que o time disputou a Série C. Desde então, mesmo com temporadas pouco produtivas, o Fluminense voltou a conquistar grandes títulos, intensificados a partir de 2007, quando os investimentos passaram a ser maiores e o levou a Copa do Brasil.

Qual o tamanho da importância de Celso Barros no título do Fluminense? Comente!

"Eu como já fui campeão em 2010 e 2007 estou mais calmo agora. No início do ano quando a gente falava da possibilidade de ganhar títulos queríamos ganhar todos. Ganhamos o Estadual, Libertadores não deu, infelizmente, mas o tetra brasileiro veio", disse Barros em roda no meio do campo do estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente, como se fosse um membro da comissão técnica, da diretoria ou do elenco do Fluminense. Oficialmente não é.

Leia também: Fred brilha e confirma título do Flu em meio ao desespero do Palmeiras

O presidente Peter Siemsen, na mesma roda, deu a dimensão da importância de Barros no dia a dia do clube. "Temos Fred, o artilheiro do Brasileirão, Abel Braga, um dos melhores técnicos do país, um elenco campeão, mas temos de agradecer a dedicação que vem desde 1998 com a gente esteja aí. Celso muito obrigado", disse Siemsen.

Os investimentos de Barros, que ajudou a contratar o então tricampeão brasileiro Muricy Ramalho em 2010, colaboraram para que o clube mantivesse em seu elenco uma base de jogadores que agora é bicampeã brasileira: Gum, Leandro Euzébio, Carlinhos, Diguinho e Fred, campeões em 2012, foram titulares no jogo do título de 2010.

Photocamera
Abel Braga e Celso Barros têm boa relação e se encontram ao menos duas vezes por semana

E quando se fala em investimentos, a patrocinadora do clube não poupa esforços. Antes de montar uma estrutura (o clube não conta com um centro de treinamento fixo e faz suas atividades em campo emprestado pelo Exército Brasileiro), o Fluminense aposta em bons salários para manter um bom elenco.

"A coisa mais importante num clube é o capital humano. Esse é o número 1. Não existe estrutura que dê jeito se você não tem qualidade humana", disse Siemsen ao justificar as prioridades dos investimentos do parceiro do Fluminense. Um CT está sendo

O campeão brasileiro de 2012 tem a maior folha salarial entre todos os times que disputaram a Série A. Com a ajuda da empresa presidida por Barros, o Fluminense gasta R$ 8 milhões por mês. De acordo com lista divulgada pelo "Diário de S. Paulo", o Grêmio vem sem segundo com R$ 1 milhão a menos.

Xodó de Barros, o atacante Fred é dono do maior salário do país (não incluindo contratos de publicidade). Artilheiro do Brasileirão, ele justifica os cerca de R$ 800 mil que recebe todo mês da Unimed. Deco, Thiago Neves e Wagner colaboram para engordar os gastos do Fluminense com salários de atletas. Pagando bem o Fluminense atraiu bons jogadores e montou um elenco capaz de vencer o Brasileirão com rodadas de antecedência. 

O dinheiro investido no Fluminense e a consequente conquista de títulos importantes transformaram Barros em um verdadeiro ídolo para a torcida do clube. Ele dá autógrafos, posa para fotos e ganhou até uma bandeira com seu rosto que é empunhada nas arquibancadas do Engenhão nos jogos do time. (veja o vídeo abaixo disponibilizado pelo canal FluDigital)

Thiago Neves, sua maior contratação no ano e uma "passada de perna" no rival Flamengo - onde o meia atuou em 2011 - motivaram a torcida a ostentar o poder de investimento do principal responsável pelas glórias do clube. No primeiro Fla-Flu do ano, a torcida tricolor ironizou. "Urubu otário, o Celso Barros tem dinheiro pra c...." cantou a torcida no Engenhão. Por essas e outras é impossível desassociar a imagem de Barros do sucesso atual do Fluminense. 

Para colaborar com a parceria de sucesso entre Fluminense e Unimed, o clube conta desde janeiro com o mais cobiçado diretor executivo de futebol do país. O gaúcho Rodrigo Caetano, um dos responsáveis pela ascensão do Vasco depois do rebaixamento em 2008, trocou de lado no Rio e colaborou para o ano de sucesso do Flu. 

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: fluminensecelso barrosbrasileirão 2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG