Time não conseguiu impugnar derrota para o Internacional que teve polêmico gol de mão de Barcos

Palmeirenses Barcos e César Sampaio também estiveram na audiência no STJD
Reprodução/Justiça Desportiva
Palmeirenses Barcos e César Sampaio também estiveram na audiência no STJD

O presidente Arnaldo Tirone tentou não demonstrar abatimento com a derrota que o Palmeiras sofreu no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nesta quinta-feira. O clube não conseguiu impugnar o tropeço por 2 a 1 diante do Internacional, em 27 de outubro, no Beira-Rio, com a alegação de que houve interferência externa para a anulação do gol de mão do atacante Barcos. O pedido foi negado por unanimidade, com nove votos a zero.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Sabíamos que era uma batalha difícil, mas temos que lutar para defender os direitos do Palmeiras. Vamos continuar lutando. O Palmeiras veio aqui para defender os seus direitos. É complicado anular uma partida, mas tentamos", ressaltou Tirone.

O mandatário palmeirense ainda manteve a versão do clube sobre o lance polêmico. "O fato é que, no nosso entendimento, houve interferência externa na jogada do gol. Por isso, fomos atrás dos nossos direitos", afirmou.Tirone prometeu voltar a se reunir com o departamento jurídico do Palmeiras para analisar o resultado do julgamento. "Vou conversar com os advogados para ver o que aconteceu", disse, preocupado com a grande probabilidade de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. "Devemos focar em ganhar as partidas que temos pela frente."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.