Lado político pesou na escolha das sedes da Copa das Confederações, diz Fifa

Secretário da Fifa pressiona o Brasil e diz que já esperava ter as “chaves das casas” que receberão os jogos

Bruno Winckler - iG São Paulo | - Atualizada às

Gazeta Press
Ronaldo e o diretor de comunicação da Fifa, Walter de Gregório, conversam no evento realizado no Museu do Futebol, em São Paulo

O jogo político foi determinante para que a Fifa definisse que seis cidades recebessem os jogos da Copa das Confederações em junho no Brasil. Com quatro sedes em atraso no cronograma inicial de obras (Brasília, Recife, Salvador e Rio de Janeiro), o secretário de comunicação da Fifa, Walter de Gregório, reconheceu que precisou ser convencido pelos governadores e prefeitos dessas sedes a acreditar que todas elas poderão receber eventos testes até 15 de abril.

Gostou da escolha das sedes para a Copa das Confederações? Opine

“A política é importante numa decisão dessas. Não posso dar em porcentagem, é um pacote completo. Esta é uma Copa brasileira, mas a Fifa organiza e a pressão é para todos nós . Temos de dizer, claro, que estaríamos mais relaxados se todos estádios fossem entregues até dezembro, mas temos de encarar a realidade e ver que há riscos. Este é o tamanho da influência política que nos levou a tomar esta decisão que divulgamos hoje”, disse Gregorio.

Veja também: Fifa confirma 6 sedes das Confederações, mas cobra: "Não há espaço para atraso"

Divulgação/Governo do Rio
O Estádio do Maracanã deverá receber a final da Copa das Confederações


Apenas Belo Horizonte e Fortaleza estão com suas obras em bom ritmo e com previsão de entrega em dezembro. Recife é a cidade com mais problemas para cumprir o prazo. O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, estava no evento em São Paulo em que a capital do seu Estado foi confirmada como uma das sedes. Ele preferiu ignorar sua força política em relação a esta decisão.

“Não é uma vitória política, mas uma vitória de Pernambuco. Estamos preparados para realizar todos esforços para respeitar os cronogramas. Os representantes da Fifa confiam em todas as sedes e demonstraram isso neste evento”, disse o governador pernambucano. “Todas as obras do entorno e de infraestrutura em Recife estão no cronograma esperado”, completou.

Leia também: Ingressos da Copa das Confederações custarão de R$ 28,5 a R$ 418

Gregorio pressionou o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, dizendo que a Copa das Confederações será definitiva para mostrar se o Brasil estará preparado para sediar com sucesso a Copa do Mundo em 2014 . “Como dizem os americanos, você nunca tem uma segunda chance de uma mudar uma primeira impressão e em junho todas estas sedes terão de mostrar o que prometeram”, disse o secretário da FIFA. “Gostaria de ter as chave da casa, mas isso não é possível se a casa não está pronta”, metaforizou.

O ministro do Esporte entendeu as ponderações de Gregorio, mas reafirmou o compromisso do governo brasileiro em atender todas as exigências da Fifa mesmo com visões diferentes sobre o andamento das obras.

“Os entes que constituem um esforço comum para realização de um grande evento não terão a mesma opinião sobre tudo, sempre. Pode haver aqui ou acolá uma diferença de opinião, mas o que há é uma cooperação e o espírito de esforço comum. O maior interessado no êxito desse evento é o Brasil. A Fifa já realizou 19 Copas. E os governadores e prefeitos conhecem suas responsabilidades também”, disse Rebelo.

Veja as fotos dos estádios do Brasil que receberão os jogos da Copa do Mundo 2014:

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: FifaCopa das ConfederaçõesCopa 2014Aldo Rebelo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG