Volante do Palmeiras prega união do elenco para evitar o rebaixamento nas quatro rodadas que restam no Campeonato Brasileiro

Marcos Assunção, volante do Palmeiras
Futura Press
Marcos Assunção, volante do Palmeiras

Os resultados da 34ª rodada do Campeonato Brasileiro não ajudaram o Palmeiras na briga contra o rebaixamento. O empate em 2 a 2 contra o Botafogo fez subir para sete pontos a diferença para o primeiro clube fora da zona da degola - o Bahia, que venceu a Portuguesa no Canindé. Apesar da situação complicada, o volante Marcos Assunção promete que o grupo vai lutar até o fim e pede para a torcida apoiar sem violência.

O Palmeiras conseguirá evitar o rebaixamento? Deixe seu comentário

“Entendo a chateação, o nervosismo porque a situação não é boa, mas enquanto houver o mínimo de chances, temos de estar juntos", afirmou Assunção. "Não é o momento de violência, nenhum momento é, este não é o caminho. Acho que o time jogou bem, lutou, batalhou, criou chances, mas não conseguimos. Entendo perfeitamente a chateação, mas violência só é ruim para o Palmeiras”, completou.

Leia também: Muros do Palmeiras amanhecem pichados com ameaças de morte a Tirone

O volante fez questão ainda de pregar a união do elenco nas rodadas derradeiras do campeonato. "O grupo é unido e fechado. Estamos juntos, todo mundo errou. Não tem que buscar a falha de um ou outro, se não fizemos na frente, é porque erramos ao não marcar atrás. Temos de estar juntos. Vamos firmes até o final”, disse. 

Veja ainda:  Com 97% de chance de ser rebaixado, Palmeiras pode cair na próxima rodada

Antes do jogo contra o Botafogo, a comissão técnica do Palmeiras calculava que seriam necessárias quatro vitórias para o time evitar o rebaixamento. Agora, com apenas 12 pontos em disputa e sete para tirar em relação ao Bahia, o planejamento é vencer todos os quatro compromissos que tem pela frente. O próximo deles será no domingo, em Presidente Prudente, contra o líder Fluminense.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.