Atlético de Madri inova e permite que torcedor deixe suas cinzas em estádio

Atualmente, há 30 urnas ocupadas e mais de 120 reservadas por torcedores que desejam que "seus restos fiquem no clube de coração"

EFE |

EFE

Com a intenção de que os torcedores tenham um lugar destinado ao "eterno repouso", o Atlético de Madri foi o primeiro clube do mundo a impulsionar uma original iniciativa: construir um columbário nas instalações do estádio Vicente Calderón.

Você deixaria suas cinzas no estádio do seu clube do coração? Comente

O projeto, também montado nos estádios do Real Betis e do Espanyol, e que em breve começará a funcionar no Camp Nou, já tem projeção internacional: clubes como Manchester City e Boca Juniors querem contar com columbários em suas instalações.

O Espaço Memorial do Atlético de Madri, inaugurado em 2008, é um projeto formado por columbários que contêm urnas com as cinzas dos torcedores do clube. O recinto, situado nas instalações do Estádio Vicente Calderón, conta com 4.200 urnas revestidas em cerâmica que reproduzem diversos momentos da história do clube.

ASSISTA: Atlético de Madri faz versão de clássico do filme "Rocky" para Falcao García

"A ideia surgiu do desejo de muitos torcedores do Atlético de Madrid em depositar suas cinzas no campo de futebol, por isso decidimos criar este lugar para que esses fanáticos possam ter seus desejos realizados", disse a responsável pelo espaço, Ana Huertes.

MERCADO:  PSG nega contatos com Real Madrid para contratar Cristiano Ronaldo

Atualmente, há 30 urnas ocupadas e mais de 120 reservadas por torcedores que desejam que "seus restos fiquem no clube de coração", entre os quais se destacam ex-jogadores como Kiko Naváez, Adelardo Rodríguez e Juanma López. "A resposta por parte da torcida foi excelente, são muitos os que nos consultam e os que estão interessados em fazer parte desta iniciativa", admite Huertes.

CONFIRA: Kaká e Federer participam de desafio de embaixadinhas na Suíça. Veja fotos

Os columbários, que custam 3,6 mil euros, podem ser comprados e reservados em vida ou podem ser adquiridos pelos parentes dos falecidos. Os pedidos desde que o projeto foi iniciado, segundo assegura Huertes, são inúmeros, embora o mais "chamativo" esteja relacionado a um pedido de um sócio que solicitou, em seu contrato, que "suas cinzas girem para que possa acompanhar as partidas".

"A parede onde está localizada essa urna dá no estádio, por isso que o homem nos pediu que giremos sua urna de tempos em tempos", assegurou Huertes.

Já o columbário do Real Betis foi um projeto que começou a tomar forma no final de 2010, quando empresário Luis Oliver assumiu a direção do clube, embora tenha sido inaugurado em junho de 2011, sob a presidência de Miguel Guillén, que atualmente segue no cargo enquanto o futuro da entidade é resolvido judicialmente.

Este columbário, situado na tribuna do estádio Benito Villamarín, ocupa 400m² e conta com cerca de quatro mil columbários individuais. Porém, o local pode abrigar até dez mil urnas. A gestão deste "Espaço Memorial", como é conhecido, é de responsabilidade da Giem Sports, que oferece a possibilidade de depositar as cinzas dos falecidos por um período de 99 anos por cerca de 3 mil euros.

O espaço está ambientado com desenhos modernos em murais em cerâmica que fazem referência à história do clube e que ocultam as urnas.

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: Futebol MundialEspanhaAtlético de Madri

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG