Maurício Ramos acredita que o Palmeiras melhorou após a chegada de Gilson Kleina e disse que o grupo está confiante em se livrar do rebaixamento

Segundo técnico que mais treinou o Palmeiras, Luiz Felipe Scolari deixou o clube em setembro, depois de mais de dois anos à frente do time paulista, em situação complicada no Brasileiro. Embora ainda na zona de rebaixamento, o zagueiro Maurício Ramos entende que o time melhorou desde a chegada de Gilson Kleina.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Maurício Ramos já vê melhora no Palmeiras com Gilson Kleina
Gazeta Press
Maurício Ramos já vê melhora no Palmeiras com Gilson Kleina

"Quando vem um novo treinador, tem mais briga para ser titular. Os que não jogavam com o outro treinador tentam ter novas chances e isso gera uma briga sadia. Neste sentido foi benéfico. O Gilson é um cara que quer vencer. O Felipão saiu, mas deixou boas lembranças. É muito bom ter o sabor de ser campeão e agora quero que todo o grupo ajude o Gilson a tirar o Palmeiras desta situação", afirmou o zagueiro.

Leia mais: Polêmica de Inter x Palmeiras não é inédita no futebol. Relembre outros casos

Após as decepcionantes campanhas em 2010 e 2011, o Verdão voltou ganhar um título com Scolari neste ano - a Copa do Brasil. Após a conquista, porém, o time não conseguiu se acertar no Brasileirão e passou apenas cinco rodadas da liga nacional fora do grupo dos quatro piores. Embora o gaúcho falasse em ficar, mesmo com um possível rebaixamento, a situação tornou-se insustentável com a derrota para o Vasco, em São Januário.

Depois disso, Narciso assumiu interinamente no clássico diante do Corinthians, mas foi derrotado por 2 a 0. Kleina tomou o comando técnico na rodada seguinte, contra o Figueirense, e desde então conseguiu, contando Brasileiro e Copa Sul-americana, torneio o qual foi eliminado pelo Millonarios, da Colômbia, cinco vitórias e cinco derrotas. 

Confira ainda:  Vídeo que mostra ajuda externa a juiz é nova arma do Palmeiras em 'caso Barcos'

Apesar do retrospecto ruim durante toda a competição, o camisa 15 reforçou que acredita na salvação de seu elenco, apesar da recente derrota para o Internacional, no Beira-Rio. Uma conversa na volta de Porto Alegre foi o que serviu para animar o experiente defensor, membro do elenco alviverde desde 2009.

"O grupo está confiante, mesmo depois da derrota. Conversamos no avião, e Deus está conosco. Então quero o grupo com essa alegria e confiança dos últimos três jogos. Temos condições, vamos focar apenas no Botafogo para que possamos fazer o melhor", afirmou o zagueiro.

Preparando-se para enfrentar o time carioca neste domingo, em Araraquara (SP), o elenco palmeirense espera ver o ‘furacão’ que atrapalha o time se afastar nas últimas cinco rodadas da competição. "Foi a oscilação que nos colocou em uma situação ruim. Tivemos lesões, e faltou entrosamento. Esse foi o furacão, mas ele tem um fim", profetizou o atleta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.