“Político do futebol”, Ronaldo revela preocupação diária com a Copa de 2014

Apesar das recorrentes críticas feitas à Copa do Mundo no Brasil, Ronaldo defende o evento, que pode trazer muitos benefícios para o país

Gazeta |

Gazeta Press
Ronaldo é membro do COL da Copa de 2014

Garoto-propaganda da Copa do Mundo de 2014 e integrante do Comitê Organizador Local (COL), o ex-jogador Ronaldo afirmou que pensa todos os dias nos possíveis problemas que o evento pode ter no Brasil.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

“Transporte até o estádio, até o aeroporto. Vai ter muita gente vindo para o Brasil. A gente se preocupa diariamente com todos esses aspectos”, disse Ronaldo, maior artilheiro de todas as Copas, em entrevista ao SporTV. “A preocupação é mais generalizada em receber os turistas e que a Copa do Mundo seja um evento como sempre foi: bem organizado”, acrescentou.

Atacante com passagens por clubes como Real Madrid, Barcelona, Internazionale, Milan e Corinthians, Ronaldo se tornou empresário do mundo do esporte depois de se aposentar. Além de uma agência de marketing esportivo, o ‘Fenômeno’ se envolveu com a organização da Copa a pedido de Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF.

Leia mais: Gullit contraria críticos e coloca Brasil entre os favoritos para a Copa de 2014

“Eu sempre pensei em me envolver. Eu queria ser um ‘político do futebol’. Não quero ser dirigente de clube. O convite caiu do céu. Eu vi que poderia fazer alguma coisa pelo meu país e tem funcionado muito bem. A gente tem confiança que vai conseguir entregar tudo a tempo”, revelou.

Apesar das recorrentes críticas feitas à Copa no Brasil, Ronaldo defende o evento, que pode trazer muitos benefícios para o país. “Temos que estar orgulhosos de que vamos receber o maior evento do mundo. Os investimentos que estão sendo feitos hoje, não seriam feitos se não houvesse a Copa do Mundo”, disse o jogador, que também vê avanços para o futebol brasileiro.

Veja também:  CBF garante seis estádios prontos para a Copa das Confederações

“Ficaríamos jogando nesses estádios velhos até cair um. É um grande legado que a Copa do Mundo vai deixar. Precisamos pegar esse legado e fazer com que o futebol brasileiro seja jogado como o futebol europeu”, projetou.

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: RonaldoCopa 2014

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG