Barcos descarta confessar gol irregular: “Palmeirenses me matariam”

Atacante argentino afirma que não repetiria gesto do alemão Klose nem se o Palmeiras estivesse em situação melhor no Brasileirão

Gazeta |

Gazeta Press
Jogadores do Palmeiras reclamam da anulação do gol de Barcos

Há um mês, a Lazio perdeu para o Napoli por 3 a 0, pelo Campeonato Italiano, e só não teve nenhum gol validado porque Miroslav Klose admitiu para o árbitro, diante da confusão, ter usado a mão para balançar as redes. A atitude foi elogiada até pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter, mas Barcos nem cogita imitar o gesto do alemão.

"Você quer que 15 milhões de palmeirenses me matem?", indagou o atacante, que no sábado usou a mão para desviar a bola nas redes na derrota por 2 a 1 para o Inter e não só se recusou a assumir o gesto, como negou ter sido o autor para escapar do cartão amarelo. E D’Alessandro até tentou convencê-lo a confessar a irregularidade ao juiz.

Barcos deveria ter admitido que fez o gol com a mão? Deixe seu comentário

Logo depois do lance, que o jogador garante ter sido involuntário - ele alega ter sofrido pênalti de Índio na jogada -, houve até a típica celebração de uma mão tapando o olho e o outro braço erguido. "Comemorei como se fosse gol, fiz até o ‘piratinha’. Qualquer um faria a mesma coisa", assegurou.

De acordo com o argentino, nem se o Palmeiras estivesse em uma situação melhor no Brasileiro ele seria sincero como Klose. "É difícil. Quantas vezes você é prejudicado, tem um gol legal anulado por impedimento que não existiu e nenhum zagueiro fala que está errado? É complicado", argumentou.

Leia também:  Para continuar na seleção, Barcos já não garante que jogará Série B

Diante da possibilidade de ser agredido pelos palmeirenses, chance que relatou existir abrindo um sorriso, Barcos tentou mostrar compreensão com a ira de quem está nas arquibancadas. "Para nós, já é difícil controlar a situação quando somos tão prejudicados, imagina para o torcedor. É muito mais difícil", apontou.

E mais:  Barcos aponta sacanagem dos árbitros e diz que "dá vontade de matar todos"

Na tentativa de agradá-los, o centroavante gostaria de ter aproveitado a oportunidade que teve diante de Muriel caído quando o Verdão vencia por 1 a 0. "Não é um gol para se perder, foi um erro meu. Quando vi, a bola já estava em cima e chutei, mas o goleiro tapou bem e pegou nele", lembrou, lamentando.

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: palmeirasbarcosbrasileirão 2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG