Atacante argentino afirma que não repetiria gesto do alemão Klose nem se o Palmeiras estivesse em situação melhor no Brasileirão

Jogadores do Palmeiras reclamam da anulação do gol de Barcos
Gazeta Press
Jogadores do Palmeiras reclamam da anulação do gol de Barcos

Há um mês, a Lazio perdeu para o Napoli por 3 a 0, pelo Campeonato Italiano, e só não teve nenhum gol validado porque Miroslav Klose admitiu para o árbitro, diante da confusão, ter usado a mão para balançar as redes. A atitude foi elogiada até pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter, mas Barcos nem cogita imitar o gesto do alemão.

"Você quer que 15 milhões de palmeirenses me matem?", indagou o atacante, que no sábado usou a mão para desviar a bola nas redes na derrota por 2 a 1 para o Inter e não só se recusou a assumir o gesto, como negou ter sido o autor para escapar do cartão amarelo. E D’Alessandro até tentou convencê-lo a confessar a irregularidade ao juiz.

Barcos deveria ter admitido que fez o gol com a mão? Deixe seu comentário

Logo depois do lance, que o jogador garante ter sido involuntário - ele alega ter sofrido pênalti de Índio na jogada -, houve até a típica celebração de uma mão tapando o olho e o outro braço erguido. "Comemorei como se fosse gol, fiz até o ‘piratinha’. Qualquer um faria a mesma coisa", assegurou.

De acordo com o argentino, nem se o Palmeiras estivesse em uma situação melhor no Brasileiro ele seria sincero como Klose. "É difícil. Quantas vezes você é prejudicado, tem um gol legal anulado por impedimento que não existiu e nenhum zagueiro fala que está errado? É complicado", argumentou.

Leia também:  Para continuar na seleção, Barcos já não garante que jogará Série B

Diante da possibilidade de ser agredido pelos palmeirenses, chance que relatou existir abrindo um sorriso, Barcos tentou mostrar compreensão com a ira de quem está nas arquibancadas. "Para nós, já é difícil controlar a situação quando somos tão prejudicados, imagina para o torcedor. É muito mais difícil", apontou.

E mais:  Barcos aponta sacanagem dos árbitros e diz que "dá vontade de matar todos"

Na tentativa de agradá-los, o centroavante gostaria de ter aproveitado a oportunidade que teve diante de Muriel caído quando o Verdão vencia por 1 a 0. "Não é um gol para se perder, foi um erro meu. Quando vi, a bola já estava em cima e chutei, mas o goleiro tapou bem e pegou nele", lembrou, lamentando.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.