Gol de mão, interferência externa e confusão que paralisou partida por mais de seis minutos não foi relatada por Francisco Carlos do Nascimento

O gol de mão de Barcos na partida entre Internacional e Palmeiras , validado e depois anulado pelo árbitro Francisco Carlos do Nascimento não mereceu ser citado como "ocorrência" na súmula do jogo, divulgada nesta segunda-feira pelo site da CBF. Em casos normais, paralisações no jogo motivadas por qualquer razão são relatados em súmula. O Inter venceu o jogo por 2 a 1.

Leia também:  Procurador do STJD admite empecilhos para Palmeiras obter impugnação

Desta vez, no espaço "ocorrências/observações", há uma única frase. "Nada houve de anormal". O Palmeiras acusa o árbitro de ter validado o gol de mão e, por interferência do delegado da partida, Gerson Baluta, o anulado. Baluta teria recebido a informação que o gol havia sido marcado com a mão. Mesmo sendo um lance ilegal, a regra do esporte ainda não considera o uso de informações de fora do campo do jogo na decisão dos árbitros

"Se o documento oficial da CBF diz isso, não temos muito o que fazer. Mas está claro que foi o delegado que anulou o gol", disse o técnico Gilson Kleina depois de conhecer o conteúdo da súmula.

Em jogo com lance polêmico, Palmeiras leva virada e rebaixamento fica mais perto

Súmula de Internacional x Palmeiras não apresenta nenhum relato do árbitro sobre os incidentes no Beira-Rio
Reprodução/Site da CBF
Súmula de Internacional x Palmeiras não apresenta nenhum relato do árbitro sobre os incidentes no Beira-Rio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.