Luxemburgo se irrita com Leandro e reclama de empate gremista

Grêmio teve duas chances de superar o domínio do Bahia e vencer fora de casa, neste sábado, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas não saiu do 1 a 1

Gazeta |

Apesar do baixo nível técnico demonstrado, o Grêmio teve duas chances de superar o domínio do Bahia e vencer fora de casa, neste sábado, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ambas foram com Leandro, acionado por Vanderlei Luxemburgo aos dez minutos do segundo tempo. Após a partida, o treinador reclamou do empate em 1 a 1, mas também aproveitou para criticar abertamente seu atacante.

O JOGO:  Bahia empata com o Grêmio e abre cinco pontos sobre o Palmeiras

"Ele é menino, mas tem que ser cobrado", disse Luxemburgo, antes de iniciar as declarações fortes sobre o camisa 21. "Ele prefere a jogada bonita do que a eficiência. No primeiro lance preferiu o drible, arriscou uma jogada que não tinha necessidade. No outro podia dar um biquinho para só dar sequência e talvez sofrer o pênalti. Mas teve uma terceira em que ele tirou o pé, aí eu fiquei p*. Errar tecnicamente faz parte, mas puxar o freio de mão, não".

A primeira chance observada pelo técnico do Grêmio foi aos 19 minutos da etapa complementar, quando uma bola sobrou para Leandro, que se aproveitou de um erro de marcação de Titi para sair na cara do gol, mas abusar da firula e permitir o desarme. A outra oportunidade ocorreu no fim, aos 45, quando o atacante tricolor recebeu em velocidade, mas ensaiou o tiro por cobertura e foi cortado.

Se a atitude de Leandro acabou irritando o treinador, o empate por 1 a 1 diante do Bahia nem tanto. A postura de Vanderlei Luxemburgo foi de lamentar a igualdade, mas deixar claro que a vitória era possível em Pituaçu: "Eu não gosto de empatar, mas às vezes é melhor que perder. Sempre fui muito claro que o título era a nossa briga, mas era distante. A vaga na Libertadores não está certa, mas mantivemos nove pontos para o quinto colocado".

"Vou para casa um pouco assim. Tivemos um jogo para matar. O Bahia naquela zona desconfortável, tendo que se expor. Conseguimos chegar três vezes seguidas, só com goleiro, tem que matar. Essa é a diferença de avançar para um título, por exemplo. Deixamos de matar e quase morremos, porque no contragolpe eles machucam a gente", encerrou Luxemburgo, que tem como próximo desafio as quartas de final da Sul-americana, na próxima terça-feira, contra o Millonarios-COL.

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: Grêmiobrasileirão 2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG