Piraci Oliveira diz no Twitter que, se ficar comprovado que gol de Barcos foi anulado por interferência de delegado, derrota por 2 a 1 para o Internacional pode ser cancelada

O gol de mão marcado por Barcos e depois anulado pelo árbitro na derrota do Palmeiras por 2 a 1 para o Internacional ainda renderá muita polêmica. Diretor jurídico do clube paulista, Piraci Oliveira escreveu em sua página no Twitter que cogita pedir até a anulação do jogo caso fique comprovado que o tento foi anulado por interferência do delegado da partida.

O JOGO:  Em jogo polêmico, Palmeiras leva virada e rebaixamento fica mais perto

“Se a informação veio de fora é caso de anulação da partida. Se foi do quarto árbitro é legítimo”, escreveu Oliveira no microblog.

Barcos marcou, com a mão, o que seria o gol de empate do Palmeiras no Beira-Rio. O árbitro Francisco Carlos Nascimento a princípio validou o tento. Depois, após reclamação dos atletas do Inter e de ouvir seus auxiliares, voltou atrás na decisão.

MAIS:  Para Kleina, delegado anulou gol de mão de Barcos: "É sem-vergonhice"

Os palmeirenses reclamam que a informação de que o gol foi ilegal veio do delegado da partida, que teria assistido ao lance na televisão, o que é proibido.

“Temos que ter prova de intromissão externa. Tem gente alegando que o delegado avisou o árbitro. Para alegarmos isso temos que provar”, publicou Piraci.

Com a derrota por 2 a 1, o Palmeiras se manteve na 18ª colocação do Brasileirão com 32 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.