Ceni pede entrada de Cícero durante jogo, mas Ney Franco nega: "Cada um na sua"

Goleiro e capitão do São Paulo, ainda com a partida em andamento, queria que o técnico fizesse uma substituição na equipe, não tendo seu pedido atendido

iG São Paulo |

O técnico Ney Franco não atendeu pedido de Rogério Ceni para que Cícero entrasse no lugar de Ademilson ao longo da partida desta quarta-feira, contra a LDU de Loja , e deixou o Morumbi prometendo conversar com o capitão são-paulino na reapresentação do grupo.

Você aprova a atitude de Rogério Ceni? Deixe seu recado e comente a notícia

Vipcomm
Rogério Ceni pede Cícero no jogo contra a LDU

"Não aprovo (ingerência no comando). É cada um na sua, fazendo sua função. Se eu achasse que o Cícero é quem deveria entrar, eu o colocaria normalmente, mas não aprovo", disse o treinador ao fim do empate sem gol que colocou a equipe brasileira nas quartas de final da Copa Sul-americana.

E MAIS: São Paulo joga mal, só empata contra a LDU, mas garante vaga nas quartas

Apesar da firmeza de atitude, Ney Franco evitou prolongar a polêmica, dizendo que o tema não será o único abordado junto ao elenco, na tarde desta quinta-feira, no CT da Barra Funda. "Sempre depois dos jogos, a gente tem uma reunião com todos os atletas para tocar em vários temas, e esse será um deles", comentou, não sem admitir que Willian José, sua escolha em detrimento do pedido de Ceni por Cícero, encontra dificuldade quando atua no Morumbi.

"Toda vez que entra aqui é vaiado. Ele está sem autoconfiança, mas tem potencial enorme para ser um dos melhores atacantes do futebol brasileiro. Emocionalmente não está preparado. Assim que ameacei colocá-lo, ele começou a ser vaiado", analisou o comandante, prometendo atenção especial ao jovem jogador daqui para frente.

Apesar do atrito exposto publicamente, o técnico do São Paulo valorizou a importância do camisa 1 debaixo das traves e, ao ser questionado mais uma vez sobre o assunto, defendeu sua renovação de contrato. O vínculo atual vence em 31 de dezembro.

CONFIRA: Jogadores do São Paulo reclamam da retranca da LDU de Loja

"Ele está em um momento muito bom tecnicamente. Está preparado, jogando bem, além de ajudar muito bem em campo na parte técnica. Tem ajudado também no dia a dia, pois é um líder, o capitão, e é sempre o último a falar com os jogadores antes das partidas", elogiou.

"Ainda tem cartucho pra continuar jogando futebol. Depende dele, e a gente sabe que é um jogador que já está há muito tempo em atividade. As informações que a gente tem da diretoria é de que a decisão é simplesmente do atleta. É ele quem vai decidir seu destino. Mas esperamos que ele fique mais um ano conosco", completou.

Uma decisão deve ser anunciada pelo jogador de 39 anos provavelmente na primeira quinzena de novembro. Já a conversa entre ele e Ney Franco a respeito de sua atitude no jogo contra a LDU de Loja será à frente de todo o grupo, nesta quinta-feira.

Essa não foi a primeira vez que Ceni indicou substituições a serem feitas. Dois anos atrás, ele orientou o meia Cléber Santana, que fazia aquecimento atrás do gol, a pedir para entrar no lugar de Marcelinho. A mudança foi efetivada por Sérgio Baresi, que comandava o time interinamente e, depois da partida, negou interferência.

*Com Gazeta

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: ney francorogério cenisão pauloSUL-AMERICANA 2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG