Palmeiras leva 3 a 0, é eliminado e se concentra só em evitar o rebaixamento

Ortiz, Cosme e Rentería marcaram os gols que garantiram a classificação do Millonarios para as quartas de final da Copa Sul-Americana

Gazeta | - Atualizada às

Despreocupado com a Copa Sul-Americana, o Palmeiras escolheu ter até um jogador a menos no banco de reservas na noite desta terça-feira, na Colômbia. Diante de um Millonarios que dá muito mais importância ao torneio, perdeu por 3 a 0 e foi eliminado nas oitavas de final da competição, tendo, agora, agenda livre para lutar contra o rebaixamento no Brasileiro.

O gol que tirou o Palmeiras da Sul-americana foi contra, de Artur, na vitória alviverde por 3 a 1 na ida, no Pacaembu. Em Bogotá, faltou balançar as redes uma vez para levar a decisão para os pênaltis. Mas a festa colombiana ocorre na espera por Grêmio ou Barcelona de Guayaquil, que se enfrentam nesta quarta-feira para definir o adversário do Millonarios.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

A classificação do time anfitrião no estádio El Campín veio com uma pressão no primeiro tempo resultada no gol de Ortiz, aos 34 minutos do primeiro tempo. Na volta do intervalo, Leandro Amaro cometeu pênalti em Cosme e Rentería converteu, aos 15. Aos 31, Ochoa fechou o marcador da partida que ainda teve Betinho, descontrolado, expulso seis minutos após entrar em campo.

Agora o foco palmeirense se volta totalmente ao Campeonato Brasileiro, no qual a equipe é antepenúltima colocada e tem seis rodadas para evitar o rebaixamento. Barcos pediu para jogar na Colômbia e ficou em campo durante todo o confronto, levando até carrinho de dois jogadores ao mesmo tempo, mas não deve ser problema no importante compromisso diante do Inter, no sábado, no Beira-Rio.

O jogo

Apesar de sua predileção por marcação sob pressão no campo adversário, Gilson Kleina armou o Palmeiras para contra-atacar no início da partida. Artur era mais zagueiro do que lateral direito ao lado de Leandro Amaro e Thiago Heleno e Juninho logo percebeu que não deveria atacar muito.

No meio-campo, só com Márcio Araújo como volante à disposição, o treinador começou o confronto apostando na vitalidade de Patrik para ajudar o camisa 8, colocou Daniel Carvalho como armador e abriu Tiago Real pela direita e Mazinho pela esquerda para municiar Barcos. Estratégia teórica que não foi usada na prática.

O Millonarios soube usar a altitude de 2.640m em Bogotá para acionar sempre a velocidade de Rentería e Cosme pelas pontas, com ambos se alternando como centroavante na grande área ou abrindo espaço para a chegada de quem vem de trás, incluindo o lateral esquerdo Martínez, que percebeu que não teria problemas com Artur. Tudo muito bem organizado por Candelo, muito mal marcado por Márcio Araújo.

Para benefício dos anfitriões, os zagueiros do Verdão não conseguiam acertar quase nada, o que foi provado logo aos dois minutos de jogo, quando Cosme desarmou Leandro Amaro para levar perigo. E o clube brasileiro não conseguia sair de seu campo, já que Patrik mal era visto, assim como Mazinho, que só aparecia errando.

Com um adversário desorientado, os colombianos não abriram o placar antes por erros nas finalizações de Cosme e Otálvaro, além de Bruno ter feito grande defesa em chute de Candela. Aos 34 minutos, ocorreu o inevitável: Cosme arrancou pela direita, rolou para trás e Rentería abriu as pernas para Ortiz soltar a bomba nas redes.

Depois de levar 1 a 0, o Palmeiras ainda contou com outra excelente defesa de Bruno em novo arremate de Candelo, mas na pequena área, e Martínez ainda bateu rente à trave. Já o Verdão, que até então isolava Barcos e só tinha finalizado bisonhamente com o ainda pesado Daniel Carvalho, enfim levou perigo com Mazinho, aos 44 minutos do primeiro tempo.

AP
Jogadores do Millonarios comemoram classificação para as quartas

Na volta do intervalo, Kleina trocou Mazinho por Luan, com o objetivo de ajudar Barcos, e manteve Tiago Real mais no meio-campo. Assim, ganhou volume para ocupar o campo adversário e, durante os cinco primeiros minutos do segundo tempo, passou a tocar a bola depois do meio-campo, criando algumas chances.

Leandro Amaro e Thiago Heleno, porém, continuavam na defesa. E, aos 13 minutos, o primeiro deixou Cosme ajeitar para Ortiz ser derrubado com falta por Leandro Amaro na grande área. Pênalti que Rentería bateu com eficiência para fazer 2 a 0, placar que já seria suficiente para a classificação.

Àquela altura, Kleina já tinha sacado o inútil Daniel Carvalho para segurar ao menos mais um adversário na defesa com a entrada de Obina. Logo após o segundo gol colombiano, o time pressionou com um chute bisonho de Luan, grande oportunidade de Barcos bem defendida por Delgado e ainda uma cabeçada de Thiago Heleno que os anfitriões salvaram em cima da linha.

Mas o espaço dado para o contra-ataque foi mais perigoso. Aproveitando-se da péssima atuação de Juninho tanto marcando quanto atacando, o Millonarios atacou por seu setor. Candelo, desmarcado como sempre ao longo do jogo, deixou de primeira para Ochoa, também livre, soltar a bomba na grande área aos 31 minutos, definindo a classificação.

O resto da partida serviu apenas para Betinho se tornar o símbolo de um Palmeiras que deu importância à partida tarde demais. O atacante entrou aos 33 no lugar de Patrik, quatro minutos depois levou amarelo por criar confusão para acelerar uma substituição do Millonarios e foi expulso ao dar um chutão no adversário com o jogo parado, aos 39. O retrato de um desclassificado.

FICHA TÉCNICA
MILLONARIOS 3 X 0 PALMEIRAS

Local: estádio El Campín, em Bogotá (Colômbia)
Data: 23 de outubro de 2012, terça-feira
Horário: 22h45 (de Brasília)
Árbitro: Victor Hugo Carillo (Peru)
Assistentes: Cesar Escano e Raul Lopez Cruz (ambos do Peru)
Cartões amarelos: Román Torres e Vásquez (Millonarios); Patrik e Luan (Palmeiras)
Cartão vermelho : Betinho (Palmeiras)

Gols:
MILLONARIOS: Juan Ortiz, aos 34 minutos do primeiro tempo; Rentería (pênalti), aos 15 minutos, e Ochoa, aos 31 minutos do segundo tempo

MILIONARIOS: Luis Delgado; Lewis Ochoa, Román Torres, Pedro Franco e Jarol Martínez; Yhonny Ramírez, Otálvaro (Robayo), Juan Ortiz e Mayer Candelo (Elkin Blanco); Rentería e Cosme (Omar Vásquez)
Técnico: Hernán Torres

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Leandro Amaro, Thiago Heleno e Juninho; Márcio Araújo, Patrik (Betinho), Tiago Real, Daniel Carvalho (Obina) e Mazinho (Luan); Barcos
Técnico: Gilson Kleina

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: PalmeirasCopa Sul-Americana

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG