Atlético-GO vence a Católica, mas é eliminado por gol sofrido em casa

Equipe goiana devolve derrota sofrida no Chile, mas gol sofrido no Serra Dourada determina adeus ao torneio continental

Gazeta | - Atualizada às

EFE
Joilson, do Atlético-GO, tenta desarmar Parot, da Universidad Católica

Praticamente rebaixado no Campeonato Brasileiro, o Atlético-GO já não tem mais ambições em 2012. Na última esperança que tinha de um resultado significativo, o time goiano venceu a Universidad Católica por 3 a 1, nesta quarta, no Serra Dourada, mas acabou eliminado pelo critério do gol marcado fora de casa pelos chilenos.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O Atlético-GO alimentou grandes esperanças quando abriu 2 a 0 e fez um bom jogo, mas não conseguiu converter a superioridade em gols. A equipe do treinador Artur Neto sofreu com os mesmos problemas que a colocou na lanterna do Nacional: a falta de criatividade e erros de fundamentos. No fim da partida, quando partiu para o abafa, os seguidos cruzamentos errados irritaram muito aos pouco mais de mil torcedores presentes.

O jogo

A responsabilidade de fazer o resultado em casa colocou o Atlético em cima da Católica desde os primeiros cinco minutos. Apesar da pouca criatividade e de muitos erros técnicos, a equipe goiana ameaçou. Aos 11 minutos, Joílson perdeu uma chance incrível, cara-a-cara com Toselli. O meia recebeu cruzamento nas costas da defesa e mandou por cima do gol. Dois minutos mais tarde, ele compensaria.

Ricardo Bueno fez o giro na área e rolou para Joílson, que chegou batendo no canto, longe do alcance do goleiro chileno. Jogando bem, mas sem conseguir assustar, o Atlético ampliou aos 35, em falha da defesa da Universidad Católica. Reniê aproveitou cruzamento que passou por toda a área e empurrou para as redes.

Um gol achado pelos chilenos, no entanto, diminuiu o ímpeto atleticano ante do intervalo. Pizarro lançou bem Castillo, que cruzou para trás e Ríos marcou, deixando o Atlético-GO com a obrigação de fazer dois gols nos 45 minutos finais.

O primeiro deles veio de cara. Aos quatro minutos, Joílson cavou um pênalti se atirando ao receber contato. Márcio, deslocando o goleiro chileno, converteu e reacendeu a esperança da classificação.

O segundo, porém, não veio. Apesar da superioridade, o Atlético-GO não a convertia em chutes a gol. Quem teve as melhores oportunidades na sequência foi a Universidad de Chile. Pizarro e Silva soltaram duas bombas e obrigaram Márcio a fazer duas defesas salvadoras. Nos minutos finais, o abafa foi pouco efetivo, com os goianos insistindo em errar cruzamentos para a área.

EFE
Márcio, goleiro do Atlético-GO, marcou um gol de pênalti

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-GO 3 x 1 UNIVERSIDAD CATÓLICA

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data: 24 de outubro de 2012, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Amarilla (Paraguai)
Assistentes: Milciades Saldivar e Hugo Martínez (ambos do Paraguai)
Cartões Amarelos: Pituca (Atlético-GO); Sepúlveda, Martínez e Meneses (Universidad Católica)
Gols: ATLÉTICO-GO: Joílson, aos 13, Reniê, aos 35 minutos do primeiro tempo, e Márcio, aos quatro minutos do segundo tempo; UNIVERSIDAD CATÓLICA: Ríos, aos 42 minutos do segundo tempo.

ATLÉTICO-GO: Márcio; Adriano (Diogo Campos), Diego Giaretta, Gustavo e Eron; Pituca, Carlos, Dodó, Mahatma Gandhi e Luciano; Ricardo Bueno
Técnico: Artur Neto

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Toselli; Sepúlveda, Martínez, Andía e Parot; Ríos (Peralta), Silva, Costa e Cordero (Meneses); Castillo (Ramos) e Pizarro
Técnico: Martín Lasarte


    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG