Terry seguirá como capitão do Chelsea após multa por insultos racistas

Zagueiro já renunciou à braçadeira na seleção inglesa após condenação por ofender Anton Ferdinand, do Queens Park Rangers

EFE |

EFE

AP
Terry foi capitão na campanha da Liga dos Campeões, maior título da história do Chelsea

O zagueiro do Chelsea, John Terry, continuará como capitão da equipe inglesa mesmo depois de ter sido declarado culpado pela FA (Associação de Futebol da Inglaterra) de dirigir insultos racistas a seu compatriota do Queens Park Rangers, Anton Ferdinand, confirmou neste sábado o presidente do clube, Bruce Buck.

Leia também:  Em clássico de viradas, Mata decide, e líder Chelsea bate Tottenham

O dirigente explicou que a entidade imporá uma punição ao defensor, sem oferecer mais detalhes, e descartou a possibilidade de Terry perder a braçadeira.

"John continuará sendo o capitão do clube. Tomamos as ações disciplinares que acreditamos serem apropriadas para as circunstâncias", explicou Buck ao site britânico TalkSport .

Nesta semana, o Chelsea já declarou "confidencial" o castigo que planejava impor ao zagueiro depois que a FA lhe impôs uma sanção de quatro partidas e 277 mil euros, que Terry renunciou a recorrer.

Terry merece seguir como capitão após acusação de racismo? Opine!

"Consideramos, em primeiro termo, que um tribunal ordinário declarou Terry inocente. Certamente, também levamos em conta e respeitamos a decisão da FA. Mantivemos esses fatores em mente e também consultamos o dono, Roman Abramovich", descreveu Buck.

"Não é uma decisão que tenhamos tomado superficialmente, em uma reunião de meia hora, mas a avaliamos durante um longo período de tempo", explicou o diretor.

Nesta semana, a organização contra o racismo no futebol "Kick it out", financiada, entre outros, pela FA, a Premier League e a Associação de Jogadores Profissionais (PFA, na sigla em inglês), considerou que a decisão de manter em segredo a sanção a Terry é "prejudicial".

"O Chelsea deve ser transparente em relação às medidas que toma contra o jogador. Muitos torcedores ficarão insatisfeitos com a entidade por não ter defendido melhor seus valores. A situação prejudica ainda mais a confiança daqueles que suspeitam que o Chelsea não foi claro neste processo", afirmou o presidente da "Kick it out", Herman Ouseley.

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
    Leia tudo sobre: futebol mundialinglaterrachelseajohn terry

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG