Emocionado, Assunção cita seu sacrifício pessoal para provar doação do Palmeiras

Volante jogou com joelho inchado, mas que atitude se deve a comprometimento de colegas

Gazeta |

Após a intensa troca de abraços dos jogadores pela vitória por 1 a 0 sobre o Bahia em Salvador, Marcos Assunção deixou o gramado do estádio de Pituaçu emocionado. O capitão do Palmeiras jogou com seu joelho direito inchado e diz ser só um exemplo do empenho do elenco para evitar o rebaixamento do clube.

Gazeta Press
Marcos Assunção comemora a tão esperada vitória sobre o Bahia

Betinho faz o gol da vitória contra o Bahia e renova esperança palmeirense

"Estou com o joelho inflamado, doendo, mas nessa hora não adianta casaco, não adianta dor", discursou. "O Barcos veio direto (do aeroporto, chegou na hora do aquecimento. E tem outros aí com qualquer tipo de dor, mas se doando. É o que precisamos fazer, não tem como ser diferente", completou.

A história da participação de Marcos Assunção da partida no Nordeste foi usada pelo próprio volante como motivação. O jogador de 36 anos, desfalque na derrota de domingo para o Náutico por conta do problema no joelho direito, chegou a Salvador quase no fim da noite de terça-feira. Mesmo no sacrifício, participou dos 90 minutos do triunfo.

"Falei para meus companheiros que não adiantava estar em casa e vê-los correndo e sofrendo. Como capitão, tenho que estar junto. Se é para cair, vou cair com eles, mas jogando. Com dor ou sem dor, vou estar em campo para ajudá-los", sentenciou o veterano.

Com a disposição do camisa 20, e também de João Denoni, que se esforçou para compensar a condição física do colega, o time manteve a esperança de ficar na Série A. "O grupo é forte, sabe a capacidade que tem e as dificuldades que vamos encontrar pela frente. Hoje (quarta-feira), tivemos muita dificuldade no jogo, mas conseguimos correr e marcar bem. O Bahia pressionou, mas o time estava bem postado em campo."

Se Marcos Assunção e Barcos, que estava no Chile com a seleção argentina, se juntaram ao elenco de última hora, Kleina teve que lidar com nove desfalques: Thiago Heleno e Juninho, suspensos, Correa, Maikon Leite, Valdivia, João Vitor e Fernandinho, machucados, e Daniel Carvalho e Wesley, que buscam melhor forma física.

Superando problemas e dores, o Palmeiras segue em sua missão de buscar cinco vitórias nos sete últimos jogos do Brasileiro, número que a comissão técnica julga ser suficiente para evitar o rebaixamento. O próximo compromisso é no sábado, diante do Cruzeiro, em Araraquara.

Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
Leia tudo sobre: palmeirasmarcos assunçãobrasileirão 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG