Com o resultado fora de casa, o clube do Palestra Itália ficou apenas seis pontos atrás do Bahia, primeiro time fora da zona de rebaixamento

Em 11 de julho, Betinho marcou seu primeiro gol com a camisa do Palmeiras, que valeu o título da Copa do Brasil. O segundo ratifica sua fama de herói: surpresa na escalação desta quarta-feira, o atacante foi o único a balançar as redes na vitória por 1 a 0 sobre o Bahia, em Salvador. O resultado renova as esperanças do clube de evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O gol de Betinho, aos 19 minutos do primeiro tempo, justificou todo o esforço da diretoria e de Barcos para o argentino estar no Nordeste menos de 24 horas após defender a seleção argentina diante do Chile. O argentino fez toda a jogada até cruzar para o colega aproveitar saída errada de Marcelo Lomba e testar na meta.

O resto da partida foi de intensa disposição e marcação dos palmeirenses, aproveitando-se da má atuação do setor ofensivo do time de Jorginho. Assim, o Palmeiras alcançou 29 pontos, subindo para a 17ª posição e reduzindo para seis pontos a distância do primeiro clube fora da zona de rebaixamento, justamente o Bahia.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

Agora, o Palmeiras, nas contas de sua comissão técnica, precisa de cinco vitórias nos sete jogos que faltam para não disputar a Série B em 2013. E o próximo compromisso será às 18h30 (de Brasília) de sábado, diante do Cruzeiro, em Araraquara. Já o Bahia visita o Corinthians no Pacaembu, no mesmo dia e horário.

Betinho comemora o gol da vitória do Palmeiras sobre o Bahia
Gazeta Press
Betinho comemora o gol da vitória do Palmeiras sobre o Bahia

O jogo

Como Barcos chegou do Chile a tempo de atuar na Bahia – desembarcou em Salvador pouco mais de uma hora antes da partida –, Gilson Kleina pode colocar em campo o esquema ofensivo que desejava. O técnico recuou Henrique para a zaga e optou só por João Denoni e Marcos Assunção como marcadores no meio-campo, com Patrick Vieira armando para o ataque formado por Luan, Barcos e Betinho.

Mas a teoria de que a escalação pressionaria a saída de bola adversária, como o treinador gosta, não virou realidade na prática. Ciente da estratégia do Verdão, o Bahia se espalhou no campo e logo passou a apostar no setor do lateral esquerdo Leandro, forçando Luan a voltar e distanciando Barcos e Betinho do resto do time, já que Patrick Vieira também recuava.

A maior posse de bola e a ocupação do campo adversário, porém, não significaram finalizações para o time nordestino. Mesmo forçada a povoar sua intermediária, a equipe paulista marcava bem e deixava como opções aos anfitriões apenas cruzamentos, todos bem cortados pelos defensores de Kleina.

Barcos disputa bola com Dany Moraes em Salvador
Gazeta Press
Barcos disputa bola com Dany Moraes em Salvador

E o Palmeiras, que já tinha levado perigo em cobrança de falta de Assunção aos cinco minutos, aproveitou a segunda chance que teve. Aos 19, Barcos usou sua qualidade para proteger a bola na grande área e levar até a linha de fundo pela esquerda, de onde cruzou para Betinho, aproveitando-se de saída errada do goleiro Marcelo Lomba, cabecear nas redes.

Com o gol, o time de São Paulo pôde se espalhar voluntariamente na defesa e tranquilo o suficiente para se posicionar para o contra-ataque. Patrick Vieira começou a mostrar mais sua dinâmica e velocidade carregando a bola e tentando mantê-la no ataque principalmente tabelando com Barcos. Leandro fazia o mesmo.

Com Zé Roberto e Gabriel anulados pela marcação adversária e Kléberson em péssima atuação, o Bahia insistia em cruzamentos, mesmo quando tinha a bola no meio-campo, e facilitava o trabalha da defesa palmeirense. O Tricolor só assustou até o intervalo em cobrança de falta de Neto que Bruno escorregou, mas conseguiu espalmar para fora.

Na volta do intervalo, para dar movimentação ao seu ataque, Jorginho trocou o imperceptível Zé Roberto por Lulinha. Mas só voltou a levar perigo em nova bola parada, desta vez em escanteio cobrado por Lulinha, aos quatro minutos, no qual Bruno saiu mal e Fahel, sozinho na pequena área, cabecear para fora. De resto, a sequência de cruzamentos do primeiro tempo se repetia.

Satisfeito com o resultado, o Palmeiras seguiu baseando seu jogo na marcação e disposição atrás do meio-campo e Barcos, Patrick Vieira e Betinho posicionados para o contra-ataque. Para mudar o panorama do jogo, Jorginho sacou Kléberson, vaiado após perder até chance clara de gol, para colocar o time à frente com Cláudio Pitbull.

O time nordestino, porém, quase levou gol em chute perigoso de Barcos, aos dez minutos, e voltou a gerar perigo somente em cobrança de falta de Cláudio Pitbull, aos 29 minutos. Insuficiente para evitar a conquista de três pontos esperançosos para o Palmeiras.

Veja fotos das partidas desta quarta-feira:


FICHA TÉCNICA
BAHIA 0 x 1 PALMEIRAS

Local: estádio de Pituaçu, em Salvador (BA)
Data: 17 de outubro de 2012, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Leandro Vuaden (Fifa-RS)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Fabiano da Silva Ramires (ES)
Cartões amarelos: Jones e D. Morais (Bahia); João Denoni, Assunção e Bruno (Palmeiras)
Gol:  Betinho, aos 19 minutos do primeiro tempo

BAHIA: Marcelo Lomba; Neto, Danny Morais, Titi e Jussandro; Fahel, Diones (Rafael), Kléberson (Cláudio Pitbull) e Zé Roberto (Lulinha); Jones e Rafael
Técnico: Jorginho

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Henrique e Leandro; João Denoni, Marcos Assunção e Patrick Vieira (Márcio Araújo); Betinho (Tiago Real), Barcos (Obina) e Luan
Técnico: Gilson Kleina

* com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.