A partida foi prestigiado por apenas 37 testemunhas, pior público da Série B 2012

Ipatinga e Joinville fizeram um jogo bem disputado nesta terça-feira, no Ipatingão, que foi prestigiado por apenas 37 testemunhas pagantes, pior público da Série B 2012, fruto da fase ruim do Ipatinga. O time mineiro lutando contra o rebaixamento venceu por 1 a 0, deixando o JEC longe do G4 e quebrando o tabu de jamais ter derrotado os catarinenses na história.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Nas três partidas anteriores entre o Joinville e o Ipatinga, o time da região Sul do Brasil levou a melhor em todas. O gol do jogo foi anotado pelo zagueiro Max, que desviou cobrança de escanteio, feita por Bruninho. Com o resultado, o Ipatinga segue na lanterna da Série B do Brasileiro, agora com 20 pontos, contra 49 do Joinville, que fica um pouco mais longe de chegar ao G4.

Confira a classificação da Série B

Na sequência do Campeonato Brasileiro da Série B, o Ipatinga vai voltar a atuar em casa, recebendo a visita do América-RN, em jogo marcado para a próxima sexta-feira. Já o Joinville, volta a campo no sábado, para medir forças contra os alagoanos do CRB, na Arena Joinville.

O jogo

Atuando em casa, o Ipatinga iniciou a partida mais agressivo que o Joinville, que logo adiantou a marcação para dificultar a saída de bola quadricolor. A estratégia adotada pelo time catarinense surtiu efeito, com os visitantes precisando de pouco tempo para ter o controle da partida, envolvendo o Ipatinga em algumas ocasiões.

Apesar de dominar territorialmente a partida, o Joinville apresentou deficiência para finalizar as jogadas de dentro da área, arriscando na maioria da vez nos arremates de média e longa distância. Aos 18, Ricardinho cobrou falta com categoria, mas um leve desvio na barreira tirou a bola da direção do gol, passando sobre o travessão com enorme perigo.

O Ipatinga deu a resposta dois minutos depois com um chute de Anderson Uchôa, que assustou o goleiro Ivan. Aos 29, o zagueiro Diego Jussani apareceu como elemento surpresa no ataque e mandou a bomba de fora de área, e quase surpreendeu o goleiro Helton Leite. Como o empate não interessava ao time mineiro, o técnico Eugênio Souza pediu que seus comandados atacassem o JEC.

Com o isso, o jogo ficou movimentado, e o quadricolor reequilibrou a partida e conseguiu abrir o placar aos 33, com o zagueiro Max, que desviou cobrança de escanteio de Bruninho e deixou a equipe do Vale do Aço em vantagem no marcador. O gol parece ter deixado o Joinville nervoso em campo, e o Ipatinga terminou o primeiro tempo deixando os torcedores animados com o desempenho do time.

Na volta para o segundo tempo, o Ipatinga quase ampliou com Bruninho em um verdadeiro petardo que Ivan conseguiu mandar para escanteio. O time de Leandro Campos não deixou por menos, e aos quatro minutos, Adaílton obrigou Helton Leite a se esticar todo para fazer uma excelente defesa, garantindo a vantagem quadricolor.

Aos dez minutos, o artilheiro Lima recebeu um cruzamento açucarado pela direita, mas se atrapalhou na hora de fazer o gol e permitiu a chegada da defesa. Apesar do público, que não prestigiou, a partida foi muito movimentada, apresentado alternância de chances de gol, com as duas equipes procurando a vitória durante todo o tempo.

Somente na segunda parte da etapa complementar é que o Ipatinga começou a exercer uma marcação atrás da linha da bola, apostando nas jogadas de contra-ataques. Apesar do volume de jogo maior, o grande problema dos visitantes foi no último passe, na assistência final, que não foi executada com eficiência.

Aos 38, o avante Lima cobrou falta com muita violência, o goleiro Helton Leite chegou a tocar na bola, que explodiu no travessão e saiu para a linha de fundo. Sem desistir, o Joinville continuou insistindo, e aos 40, Jean Carlos tentou em chute cruzado, que o goleiro ipatinguense, Helton Leite, em noite inspirada operou milagre para garantir a vitória dos mineiros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.