Goleiro admite tristeza com situação complicada do time no Brasileirão, mas diz que grupo não pode ser cobrado por falta de disposição

A derrota por 1 a 0 diante do Náutico neste domingo complicou ainda mais a situação do Palmeiras no Campeonato Brasileiro . O clube está a nove pontos do Bahia, primeiro time fora da zona do rebaixamento, com apenas oito rodadas para o fim da competição. Após o jogo em Recife, o goleiro Bruno admitiu tristeza com a situação, mas ressalta que falta de disposição não é problema no grupo.

Ainda dá tempo de o Palmeiras evitar o rebaixamento? Deixe seu comentário

"Ninguém pode falar que o time deixou de correr e lutar", afirmou o camisa 1 à TV Bandeirantes , garantindo aos torcedores que os jogadores também estão tristes. "Nossa cabeça está tão inchada quanto a de todos."

Veja ainda:  "Estamos colhendo o que plantamos", diz ex-goleiro Marcos sobre o Palmeiras

Após a 18ª derrota, que ratificou o Palmeiras como time que mais perdeu no Brasileirão, o goleiro destacou o empenho da equipe. "Estamos lutando, brigando, fazemos a nossa parte. Mas falta alguma coisa que não estamos achando. Quando acharmos, vamos sair com o resultado positivo", previu.

Veja fotos da 30ª rodada do Campeonato Brasileiro

Mesmo no 1 a 0 a favor do Náutico deste domingo, a sensação foi de boa atuação, mas os donos da casa mostraram mais eficiência. E a expulsão de Thiago Heleno, aos 18 minutos do segundo tempo, complicou ainda mais a missão palmeirense nos Aflitos.

Leia também:  Obina se recusa a jogar a toalha e diz que Palmeiras ainda não caiu

"Fomos um dos poucos times que jogaram de igual para igual com o Náutico nos Aflitos, mas a bola não entrou. Futebol é bola na rede e eles fizeram na chance que tiveram. Depois, com um a menos, ficou mais difícil", constatou Bruno.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.