Crac e Sampaio Corrêa ficam empatados no primeiro jogo da final da Série D

Resultado dá direito a empate sem gols ao Sampaio no jogo de volta em São Luís, dia 21

Gazeta |

Divulgação
Torcida do Sampaio Corrêa é uma das mais assíduas do Brasil

Crac e Sampaio Corrêa começaram a decidir a Série D do Campeonato Brasileiro na tarde deste domingo em Catalão, cidade no sul de Goiás. Com dois gols marcados no primeiro tempo e um pênalti perdido pelo time maranhense, o primeiro confronto da decisão terminou empatado em 1 a 1. A definição campeão da quarta divisão nacional fica para o próximo domingo, no Castelão, em São Luís.

Apesar da ofensividade apresentada nos primeiros minutos de bola rolando, o Crac teve que contar com o preciosismo do goleiro Dudu, que evitou a abertura do placar aos seis minutos, quando Zé Neto cometeu pênalti em Pimentinha e acabou expulso de campo. Na cobrança de Célio Codó, o goleiro do time do interior goiano caiu na hora certa para fazer a defesa e impedir o prejuízo logo no início.

A superioridade numérica do Sampaio Corrêa teria fim logo aos 24 minutos, no momento em que o lateral esquerdo Luis Jorge cometeu falta dura na intermediária e acabou expulso de campo. O time maranhense não sentiu o baque e abriu o placar cinco minutos após a expulsão, com chute de fora da área de Cleitinho, que inaugurou a contagem a favor do time de melhor campanha nas fases anteriores da Série D.

Aos 36 minutos, se aproveitando de falha do goleiro Rodrigo Ramos, o lateral Guerra repetiu Cleitinho e bateu de fora da área, igualando a contagem para o Crac, que aumentou o ritmo de jogo, igualou a contagem, mas não conseguiu superar a Bolívia Querida. Diante de 4 mil torcedores em Catalão, os dois times travaram um confronto equilibrado, sob forte chuva, até o apito final.

Após a igualdade, as duas equipes terão a semana completa de preparação até o próximo domingo, quando é a vez de o Sampaio Corrêa ser anfitrião e o Crac visitante, no estádio Castelão. Como possui melhor campanha, o time maranhense leva vantagem no empate sem gols, mas a igualdade por 1 a 1 leva aos pênaltis e, com mais gols, dá o título ao Crac.

Enquanto o Crac chega ao confronto decisivo como azarão, o Sampaio Corrêa busca o terceiro título nacional de sua história. Em 1972, a equipe garantiu a Taça de Prata, equivalente à Série B do Campeonato Brasileiro e, em 1997, foi campeão nacional da Série C. Além dos dois clubes, Mogi Mirim-SP e Baraúnas-RN já se garantiram na Terceirona de 2013.

Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
Leia tudo sobre: Série DSampaio CorrêaCrac

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG