Palavra 'vergonha' foi pichada no muro do Palestra Itália após derrota para o Coritiba. Durante o dia, houve troca de socos até cadeiradas

Gilson Kleina orienta o time do Palmeiras contra o Coritiba
Gazeta Press
Gilson Kleina orienta o time do Palmeiras contra o Coritiba

O ambiente do Palmeiras nesta sexta-feira prova que o feriado não foi de tranquilidade para muitos sócios. Muro e portão do Palestra Itália amanheceram com a palavra "vergonha" pichada e, dentro do clube, conselheiros trocaram agressões em uma das poucas áreas que não passam por reforma no clube.

Comente esta notícia e deixe seu recado para outros torcedores

Foi difícil apagar as pichações, tanto em um muro quanto em um dos portões. A tinta verde aplicada sobre a inscrição não era suficiente para apagá-la.

No clube, conselheiros de grupos políticos diferentes trocaram socos e até cadeiradas sem se importar com crianças, que estavam no local para aproveitar o feriado.

Leia ainda: Palmeiras vai se refugiar no Recife, longe da imprensa

A nove rodadas do final do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras ocupa a antepenúltima colocação e está a nove pontos do Bahia, primeiro clube fora da zona de rebaixamento.

Até o encerramento do torneio, a equipe visita Náutico (neste domingo), Bahia, Inter, Flamengo e Santos e é mandante diante de Cruzeiro, Botafogo, Fluminense e Atlético-GO - nos três primeiros, por suspensão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, sera obrigado a atuar a 100 km da cidade de São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.