Revoltado, presidente do Atlético-MG dispara contra relator do caso Ronaldinho

Alexandre Kalil chamou Jonas Lopes de "menininho" e insinuou que a punição ao camisa 10 foi uma questão pessoal, já que o relator é flamenguista

Gazeta |

A punição do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) ao meia Ronaldinho Gaúcho irritou profundamente o presidente do Atlético-MG , Alexandre Kalil, que garantiu que vai pedir a expulsão do relator Jonas Lopes de Carvalho Neto, que denunciou o jogador por agressão ao atacante gremista Kleber. Jonas Lopes é torcedor confesso do Flamengo e não gostou quando Ronaldinho deixou o clube carioca, publicando no Facebook uma montagem contra o jogador.

E MAIS:  Inter atropela o Atlético-MG no segundo tempo e deixa rival longe do título

Kalil chegou a chamar Jonas Lopes de menininho após ter acesso ao perfil do relator e ver a montagem contra o craque atleticano. O mandatário ainda insinuou que o relator do tribunal toma decisões baseado em questões pessoais, e citou como exemplo, o próprio Ronaldinho, e o caso do atacante Loco Abreu, punido por beijar o escudo do Botafogo.

Bruno Cantini / Divulgação
Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG

"A respeito da punição do Ronaldinho, eu, primeiramente, fiquei indignado, só pelo fato de ele ter sido punido. Depois, pela decisão, eu fiquei envergonhado. E depois que eu recebi essa brincadeira do senhor, doutor, não sei quem é, Jonas Lopes Neto, estou absurdado, na mão de quem o futebol brasileiro está", disse Kalil, que lamentou a presença de Jonas Lopes no STJD, e afirmou que lá ainda existem pessoas sérias.

Você achou justa a punição a Ronaldinho? Deixe seu recado e comente esta notícia

"Conheço o doutor Paulo Schmitt, que é sério, de Curitiba, conheço o presidente, doutor Flávio Zveiter, botafoguense muito sério, conheço desde garoto. Conheço também o doutor Roberto, homem muito sério. Mas esse tipo de molecagem. Esse rapaz, que correu como um garotinho assustado para apagar o que fez no Facebook, é o mesmo que puniu o Loco Abreu, do Figueirense, que fez um sacrifício danado para contratar o jogador, por beijar o escudo do Botafogo perante a torcida do Flamengo", disparou.

Kalil ainda pediu mais cuidado na hora do STJD denunciar algum jogador. "Acho que a procuradoria tem que ter muito cuidado na hora de fazer a denúncia, porque é na mão desse tipo de gente que estamos, desse rapazinho, que transveste de auditor do futebol brasileiro, um futebol que recebe R$ 1 bilhão", declarou.

CONFIRA:  Jogadores do Atlético-MG admitem que título ficou distante

O dirigente atleticano criticou a postura de Jonas Lopes, que chamou a camisa do Flamengo de farda. "Quero avisar para ele, que a camisa do Flamengo não é farda. Isso não é coisa de capitão, polícia, violência. Chamo a camisa do Atlético-MG de manto. E não de farda. E ele está instigando a violência no futebol. Ele não pode, depois, se colocar como um homem da Justiça", comentou Kalil, que deixou claro que vai pedir a expulsão de Jonas Lopes.

"Quero que todo mundo preste atenção, porque é esse tipo de gente que está tomando conta do futebol brasileiro. Se ele não sair de plena vontade, o Atlético-MG vai pedir a expulsão dele, pois não tem o menor cabimento o futebol estar nas mãos desse tipo de pessoa", concluiu.

Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
Leia tudo sobre: atlético-mgstjdalexandre kalilbrasileirão 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG