Palmeiras tenta conter desespero e pressão após 1ª derrota de Kleina

Antepenúltimo do Brasileirão, clube está a 6 pontos do Coritiba, primeiro time fora da degola

Gazeta |

Gazeta Press
Na última rodada, o Palmeiras de Bruno (d) perdeu por 3 a 0 para o São Paulo

Após renovar sua esperança de permanecer na primeira divisão do Brasileiro com duas vitórias no torneio sob o comando de Gilson Kleina, o Palmeiras perdeu por 3 a 0 para o São Paulo, no sábado, com atuação bem abaixo da esperada. E a semana seguinte à primeira derrota do técnico no clube tem sido usada para minimizar os efeitos do tropeço no Morumbi. O discurso é de ter calma mesmo diante do grande risco de rebaixamento.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Tivemos um resultado negativo no jogo passado, mas precisamos estar muito cientes e tranquilos. Não adianta desespero e pressão, isso só vai tornar pior", avisou Tiago Real. "Temos que saber da nossa responsabilidade, o clube é muito grande, mas precisamos estar muito tranquilos. Não podemos deixar que a pressão nos afete."

Leia mais: Copa do Brasil tem influência direta na ameaça de rebaixamento do Palmeiras

As cobranças para evitar uma nova disputa da Série B, porém, seguem intensas. O Verdão esteve na zona de rebaixamento em 22 das 28 rodadas já disputadas do Brasileiro e ocupa atualmente a antepenúltima colocação, a seis pontos do Coritiba, primeiro clube a aparecer fora da faixa de descenso. E restam dez jogos para o time evitar a queda.

Veja também: Tiago Real 'proíbe' lamento e se diz preparado para vaga de Valdivia

A pressão parece ter afetado até Kleina, que prometia não mudar a estrutura tática do time, mas optou por escalar um apático Daniel Carvalho para adiantar Valdivia no Choque-Rei. A marcação se tornou individual e ficou frouxa. Com espaço, o São Paulo fez 2 a 0 no primeiro tempo e, quando o técnico reajustou sua equipe na volta do intervalo, rapidamente perdeu Artur, expulso, e Valdivia, machucado, terminando o clássico com dois a menos.

Para correções futuras, a análise principal é em relação ao cartão vermelho de Artur. "Nossa equipe é muito tranquila. Batemos muito na tecla de começar e terminar os jogos com 11. Perdendo um jogador, a partida se torna muito difícil. Já é difícil com número igual ao adversário", falou Tiago Real.

E ainda: Com lesão na coxa, Juninho desfalca o Palmeiras e dá lugar ao veterano Leandro

Nesta terça-feira, o elenco embarca para Araraquara, cidade onde enfrentará o Coritiba na quinta-feira. A ideia é ter os ânimos acalmados para conseguir neste confronto direto uma das seis vitórias que faltam para evitar o rebaixamento, nas contas da comissão técnica.

"Na quinta-feira, temos um confronto que todos sabem que é uma final. Precisamos ter o melhor desempenho possível para diminuirmos a diferença para o Coritiba", disse Tiago Real, até tirando o valor das conversas dos jogadores sobre a situação do clube.

"Cada um tem a sua consciência, não precisamos ficar comentando. Temos que procurar a vitória para sairmos dessa zona tão incômoda em que estamos há algum tempo. Precisamos dar a resposta o mais rápido possível para o ano terminar feliz", apontou.

Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
Leia tudo sobre: palmeirasdesesperorebaixamentoderrotagilsonkleina

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG