Lutando para fugir do rebaixamento, Palmeiras teve sua reação de três vitórias consecutivas freada pela derrota por 3 a 0 diante do rival São Paulo

Palmeiras foi dominado pelo São Paulo no Morumbi
Vipcomm
Palmeiras foi dominado pelo São Paulo no Morumbi

O Palmeiras vinha em evolução na sua confiança em função de três vitórias seguidas sob o comando do técnico Gilson Kleina até encontrar o São Paulo. No clássico deste sábado no Morumbi, a equipe de Palestra Itália sofreu um revés impactante por 3 a 0 e agora admite novamente a necessidade de trabalhar a cabeça do grupo.

Leia também:  Palmeiras reconhece derrota e isenta árbitro na expulsão de Artur

"O importante é equilibrar o emocional do pessoal, todos ficaram abalados pela derrota", afirmou o gerente de futebol César Sampaio, ainda nos vestiários do estádio do Morumbi.

O que achou do jogo? Deixe seu comentário!

O sucesso em recuperar a confiança do time necessita de rapidez. Na quinta-feira, o Palmeiras entra em campo novamente pelo Campeonato Brasil em uma partida decisiva contra o Coritiba, rival direto na luta contra o rebaixamento. Na reta final da competição, uma derrota pode ser desastrosa para a equipe de Gilson Kleina.

Veja as fotos da 28ª rodada do Brasileirão:

Para César Sampaio, o Palmeiras deve pensar em um jogo de cada vez no Campeonato Brasileiro, apesar de amargar seis pontos de desvantagem em relação ao próprio Coritiba, primeiro time da classificação fora da zona da degola. A paciência em buscar um degrau por vez é um desafio preocupante."Sabíamos que vencer o São Paulo era uma grande oportunidade, mas também estamos conscientes de que não iríamos sair dessa situação em uma semana, dez dias ou em dois ou três jogos", explicou César Sampaio.

E ainda: Valdívia deixa Morumbi com joelho imobilizado e preocupa médicos

Depois da primeira derrota no comando do Palmeiras, o técnico Gilson Kleina também prega a serenidade em busca dos pontos necessários na classificação. Em primeiro lugar, ele exige que o time recupere a postura e a energia das partidas contra Figueirense, Ponte Preta e Millonarios.

"O que vamos conversar primeiro é que sempre devemos entender de que forma sairemos dessa situação. Se mantivermos aquela atitude, tenho certeza de que iremos caminhar", apostou o ex-treinador da Ponte Preta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.