Valdivia atribui melhora à chegada de Kleina, não à saída de Felipão

Meia negou que time se esforçasse menos com o técnico anterior e disse que Kleina quer "fazer história" no Palmeiras

Gazeta |

Gazeta Press
Valdivia, meia do Palmeiras

Desde que assumiu o Palmeiras , Gilson Kleina obteve 100% de aproveitamento, com duas vitórias no Brasileirão, uma na Copa Sul-americana, e média de três gols marcados por jogo. O panorama é muito diferente daquele deixado por Luiz Felipe Scolari, quando o técnico chegou a um comum acordo para deixar o clube, no dia 13 de setembro.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Nos últimos oito jogos do treinador, que conquistou a Copa do Brasil nesta temporada, o Palmeiras obtivera apenas uma vitória, um empate e seis derrotas. Apesar do discurso de agradecimento ao pentacampeão mundial por jogadores como Marcos Assunção, o clima dentro da Academia se mostra mais leve, especialmente diante do início de reação na liga nacional.

Leia mais: Para manter arrancada, Palmeiras precisa quebrar tabu de dez anos contra rival

A mudança, porém, não é creditada à saída de Felipão. "Atribuo à chegada do Kleina", declarou o meia Valdivia. "As coisas estão dando certo agora, mas não tem essa de ter mais, menos ou igual vontade do Felipão", acrescentou o chileno, que vive sua sequência de jogos mais longa na temporada: sete consecutivos.

Veja também: Araraquara receberia mais 3 jogos do Palmeiras, mas clube não confirma

Para o camisa 10, a motivação com o novo comandante se dá pela vontade que Kleina tem de ficar marcado no clube. "Chegou um treinador que quer fazer história, porque quem tirar o clube dessa situação vai ficar na memória dos torcedores", alegou o jogador, que se esquivou ao falar do estilo de jogo de Scolari, mais baseado na defesa."Cada treinador tem seu jeito de posicionar o time. O Chelsea foi campeão se defendendo, ganhando do Barcelona, que é um time agressivo, e o Barcelona foi campeão sendo muito agressivo", disse o chileno, lembrando da vitória dos Blues na semifinal da Liga dos Campeões da Europa, sobre o time de Lionel Messi, então campeão.

Com 26 pontos somados, o Palmeiras precisa contar com tropeços de Sport e Coritiba, além de uma vitória no clássico de sábado, contra o São Paulo, para sair da zona de rebaixamento. E para conseguir o feito, o time conta com um importante fator: a retomada da concentração.

E ainda: Barcos se reapresenta e Kleina usa treino fechado para testar opções

"Estamos saindo na frente e não deixando o time contrário partir para cima. Antigamente, fazíamos 1 a 0 e logo tomávamos o empate e a virada. Hoje, fazemos um gol e já procuramos o segundo e o terceiro. Está dando resultado. Os gols estão saindo e conseguimos ganhar confiança automaticamente", completou o camisa 10, que nem cogita a ida do Verdão para a Série B nacional em 2013.

Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
Leia tudo sobre: palmeirasvaldiviasaídafelipãochegadakleinaambientemelhorabrasileirão 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG