Tirone comemora primeira eleição direta no clube em novembro de 2014

Equipe paulista teve definida a adoção de eleições diretas. Novo pleito será realizado em novembro, não mais em janeiro

iG São Paulo * |

Na última segunda-feira, o Palmeiras teve definida a adoção de eleições diretas para escolha de seu presidente. O projeto, aceito pelo Conselho Deliberativo de forma unânime, mudará não só a forma de escolha, mas também a data de realização do pleito: novembro - atualmente o time paulista vota pela escolha de seu novo mandatário em janeiro.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Gazeta Press
Tirone celebrou as eleições diretas no Palmeiras

"Entendo que é mais produtivo e lógico antecipar eleições para começar o ano fiscal e vigente já no primeiro dia do ano como presidente", explicou o atual mandatário, Arnaldo Tirone.

Leia mais:  Sem cogitar rebaixamento, Valdivia garante que fica no Palmeiras em 2013

"Nossa proposta é de que o presidente eleito em 2014 tome posse no primeiro dia do ano seguinte como na Prefeitura e outros cargos políticos", acrescentou.

No dia 22 de outubro, os 191 membros presentes na reunião do início desta semana discutirão seis emendas ligadas à mudança. Luiz Gonzaga Belluzzo, ex-presidente alviverde, e Paulo Nobre, possível candidato no próximo pleito, faltaram na reunião que aprovou a mudança no formato, alegando problemas pessoais, e não participarão desta nova discussão no final do mês.

Após o segundo encontro, os sócios do clube precisam ratificar a mudança, em nova votação. Tirone, porém, não considera que isto seja um empecilho para definir o novo formato de eleições palmeirense. Mesmo que confirmada, as diretas só acontecerão no final de 2014, já que na votação a ser realizada no início do ano que vem, o atual sistema, em que apenas conselheiros participam, será mantido.

Confira ainda: Palmeiras abre inscrições para corrida de rua em homenagem a Marcos

Para este pleito, Tirone fez uma proposta diferente. A ideia do atual mandatário seria comandar o clube com Mustafá Contursi, Affonso Della Mônica e Belluzzo, os ex-presidentes mais recentes do clube, entre 2013 e 2014, este o ano do centenário do clube. Ele, porém, admite ser complicada a aliança do quarteto, diante dos diferentes interesses políticos no clube.

O próprio futuro de Tirone ainda é uma incógnita. Embora o Palmeiras tenha conquistado em sua gestão o título da Copa do Brasil, o risco da equipe retornar a Série B do Brasileiro no próximo ano o faz evitar falar no assunto de tentar concorrer para seguir à frente do Verdão.

"Não estou pensando em coisas pessoais como uma reeleição. Claro que tenho o direito e gostaria de ser candidato, mas a preocupação agora é nos recuperarmos no Brasileiro. Depois, penso com calma", disse o presidente, que já foi em diversas vezes hostilizado pela torcida, assim como seu vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo.

*Com Gazeta

Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.
Leia tudo sobre: genetpalmeirastironeeleiçãodiretas2013

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG