Orçamento para Copa 2018 ultrapassa R$ 38 bilhões e chega ao dobro do previsto

40% do valor serão destinados à construção de estádios e o restante ficará com obras de transportes e infraestrutura

BBC |

BBC

A Rússia revelou neste domingo que o orçamento preliminar para a realização da Copa do Mundo de futebol de 2018 já chegou a quase o dobro do que o previsto quando o país foi escolhido para sediar o torneio, em 2010. O ministro dos Esportes, Vitaly Mutko, anunciou um orçamento de 600 bilhões de rublos (cerca de R$ 38,9 bilhões), dos quais quase 40% serão gastos para a construção ou renovação de estádios. O restante deverá ser gasto com obras de transportes e infraestrutura.

Segundo Mutko, os custos deverão ser divididos entre os setores público e privado. No Brasil, que organiza a próxima Copa do Mundo, em 2014, o último levantamento divulgado pelo governo, em maio, indica um orçamento total de R$ 27,1 bilhões.

Divulgação
Presidente da Fifa Sepp Blatter recebe o russo Vitaly Mutko, que comanda o Comitê Organizador da Copa 2018

Qualidade 'impressionante'
A Rússia foi escolhida pela Fifa como sede da Copa de 2018 numa eleição polêmica, em que venceu a favorita Grã-Bretanha e as candidaturas conjuntas de Portugal e Espanha e de Bélgica e Holanda. Onze cidades-sede foram escolhidas para abrigar os jogos da Copa, todas na parte europeia da Rússia: Moscou (com 2 dos 12 estádios), São Petersburgo, Sochi, Yekaterimburgo, Kazan, Nizhny Novgorod, Rostov-on-Don, Samara, Kaliningrado, Volgogrado e Saransk.

Em um comentário durante a mesma conferência em Moscou na qual foram anunciados o orçamento e as sedes, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, afirmou que, se depender da proposta russa, a qualidade dos estádios em 2018 será "impressionante"

O presidente da Fifa, Sepp Blatter, falou por sua vez que o futebol está se expandindo o tempo todo. "Vocês podem imaginar que tivermos um representante da Síria nos comitês da Fifa na semana passada e eles jogam futebol na Síria?", disse. "Talvez não em Aleppo agora, mas eles jogam futebol na Síria".

A cidade de Aleppo sofre com a violência do conflito entre as forças que tentam derrubar o presidente Bashar Al-Assad e a repressão oficial do governo sírio.

"Vocês sabiam que no Afeganistão eles têm uma liga de futebol? O futebol é jogado em todos os lugares. O futebol dá às pessoas esperança e conecta essas pessoas", afirmou Blatter. Ele observou ainda que em 2018 a Copa do Mundo chegará pela primeira vez à "parte leste da Europa".

Leia tudo sobre: FifaCopa 2018Rùssiafutebol mundial

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG