Atlético-MG empata com a Portuguesa e pode se distanciar ainda mais da ponta

Com o resultado, o Atlético-MG chegou aos 53 pontos ganhos, ainda na segunda colocação. O líder é o Fluminense, que totaliza 56 e disputará clássico com o Flamengo

Gazeta | - Atualizada às

O momento de instabilidade do Atlético-MG no Campeonato Brasileiro perdura. Na noite deste sábado, o antigo líder da competição ficou no empate por 1 a 1 com a Portuguesa , no Canindé, e passou a correr o risco de se distanciar um pouco mais da ponta da tabela. Poderia ter sido pior. Os visitantes estavam atrás no placar, com gol de Léo Silva, e ainda perderam o zagueiro Léo Silva, que recebeu cartão vermelho. Menos mal que Bernard aproveitou bate-rebate na área e encheu o pé para vencer Dida e empatar.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Com o resultado, o Atlético-MG chegou aos 53 pontos ganhos, ainda na 2ª colocação. O líder é o Fluminense, que totaliza 56 e disputará clássico com o Flamengo no domingo. Já a Portuguesa, longe da zona de rebaixamento, tem 33. Na próxima rodada, o time mineiro receberá o Figueirense no sábado, no Independência, enquantoo paulista jogará contra o ameaçado Sport no Canindé.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro

A igualdade deste fim de semana ainda prolongou um tabu do Atlético-MG, que continua sem jamais ter vencido a Portuguesa em São Paulo em partidas válidas pelo Campeonato Brasileiro. Foram 12 jogos (contabilizado o deste fim de semana), com seis vitórias lusitanas e seis empates.

Futura Press
Lusa e Atlético-MG fizeram bom jogo no Canindé

O jogo
A torcida do Atlético-MG se sentiu em casa no Canindé. Em bom número, os visitantes chegaram cedo ao estádio da Portuguesa e aproveitaram o período de espera até o jogo começar para confraternizar nas arquibancadas. Também provocaram o público adversário e até tietaram a médica loira que estava diante da ambulância, à beira do campo. Quando o placar eletrônico anunciou de forma equivocada que a partida já estava 2 a 0 para o Galo, a alegria ficou ainda mais intensa.

A animação dos atleticanos, no entanto, não se alongou no primeiro tempo. Sem criatividade no meio-campo, a equipe comandada por Cuca só se mostrou capaz de incomodar a defesa da Portuguesa através de jogadas de bola parada. Do outro lado, Geninho mantinha a preocupação com o segundo colocado do Campeonato Brasileiro: “É um jogo difícil. Enfrentar o Atlético é sempre complicado, independentemente de qualquer situação. O time deles vai se encaixar de novo em algum momento”.

Os jogadores da Portuguesa seguiram os alertas do comandante e apertaram a marcação sobre o Atlético-MG. No ataque, a ordem era se movimentar de um lado a outro do campo para confundir a defesa rival. Moisés foi o mais ágil entre os lusitanos, na maioria das vezes levantando a bola na área para Bruno Mineiro. Victor, “o melhor goleiro do Brasil” para os atleticanos que ainda estavam empolgados no setor visitante, afastava o perigo nas jogadas aéreas.

O Atlético-MG tentou se reorganizar sob os gritos de Cuca. Faltava velocidade, contudo, para o time se aproximar do gol defendido por Dida. Ronaldinho Gaúcho, com alguns cruzamentos da esquerda, e Jô, com chutes tortos, até tentaram atrapalhar o goleiro veterano – sem sucesso. Para piorar, o volante Pierre se machucou e precisou ser substituído por Serginho aos 32 minutos.

No final do primeiro tempo, a Portuguesa transformou o seu maior volume de jogo em chances de gol. Aos 37, Boquita carregou a bola com categoria e arriscou o chute, obrigando Victor a espalmar de mão trocada. Pouco depois, Ananias levou a melhor sobre Bernard (o meia reclamou de falta no lance) e acionou Bruno Mineiro, que acertou a rede. O árbitro Elmo Alves Resende Cunha viu toque de mão no lance e virou inimigo da torcida da casa. “Ladrão, ladrão, ladrão!”, cantaram os lusitanos.

Logo no princípio do segundo tempo, a revolta da torcida da Portuguesa virou alegria. Léo Silva ficou com uma sobra de bola na área do Atlético-MG depois de cobrança de falta de Moisés e completou para o gol aos cinco minutos. Os protestos, então, mudaram de lado. Os atleticanos pediram falta em Victor na jogada, mas a arbitragem não deu ouvidos. O gol era o que restava para a partida finalmente ficar mais movimentada no Canindé.

Cuca não se contentou com a mudança de disposição de seus jogadores. Aos 14, o técnico trocou Danilinho, que saiu mancando, por Guilherme. Seis minutos depois, comemorou o gol de empate do Atlético-MG. Ronaldinho Gaúcho cobrou falta por baixo da barreira, e a bola sobrou para Bernard bater com força e estufar a rede.

A euforia atleticana foi abalada pela falta dura que Leonardo Silva cometeu em Boquita. O zagueiro acabou expulso, fazendo com que Cuca gastasse a sua última alteração para corrigir o buraco na defesa. Luiz Eduardo substituiu Marcos Rocha e quase viu um gol de sua equipe assim que entrou em campo. Em nova cobrança de falta de Ronaldinho Gaúcho, aos 27, a bola parou na trave.  Em vantagem numérica, a Portuguesa se lançou ao ataque da metade do segundo tempo ao final do jogo e pressionou bastante o Atlético-MG, que voltou a ficar à espera de jogadas de bola parada para tentar chegar à vitória. Nenhum dos times conseguiu mexer novamente no marcador.

FICHA TÉCNICA - PORTUGUESA 1 x 1 ATLÉTICO-MG
Campeonato Brasileiro 2012 - 27ª rodada 
Local : estádio do Canindé, em São Paulo-SP
Data : 29 de setembro de 2012, sábado
Horário : 18h30 (horário de Brasília)
Público : 5.971 pagantes
Renda : RS 163.860,00
Árbitro : Elmo Alves Resende Cunha
Assistentes : Evandro Gomes Ferreira e João Patrício de Araújo
Cartões amarelos : Ferdinando, Léo Silva (POR); Pierre, Leonardo Silva, Serginho (AMG)
Cartão vermelho : Leonardo Silva (AMG

GOLS
PORTUGUESA: Léo Silva, aos 5 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO-MG: Bernard, aos 20 minutos do segundo tempo

PORTUGUESA : Dida; Luis Ricardo, Valdomiro, Lima e Rogério; Ferdinando (Michael), Léo Silva, Moisés e Boquita; Ananias e Bruno Mineiro  Técnico : Geninho

ATLÉTICO-MG : Victor; Marcos Rocha (Luiz Eduardo), Rafael Marques, Leonardo Silva e Júnior César; Pierre (Serginho), Fillipe Souto, Danilinho (Guilherme) e Ronaldinho; Bernard e Jô  Técnico : Cuca

Leia tudo sobre: Atlético-MGPortuguesaBrasileirão 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG