Suspenso por uso de cocaína, goleiro do Atlético-PR pode ter pena reduzida

Caso tenha bom comportamento, Rodolfo pode ver gancho de 2 anos ser minimizado pelo STJD

iG São Paulo | - Atualizada às

Em decisão inédita e unânime concluída nesta sexta-feira, o goleiro Rodolfo, flagrado no exame antidoping por consumo de cocaína , poderá se livrar da suspensão de dois anos se comprovar bom comportamento, iniciar tratamento anti-drogas e participar de ações sociais propostas pelo próprio clube, o Atlético-PR .

Você concorda com a medida inédita do STJD? Deixe sua opinião!

Em primeira instância, o atleta de 21 anos havia sido suspenso por dois anos , mas o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) votou um recurso do clube no caso e aceitou reduzir a pena para um ano fora dos gramados, isso se Rodolfo se mantiver em tratamento contra a própria dependência química. Exames serão realizados mensalmente para verificar o bom comportamento do jogador que, se estiver bem recuperado ao término do período, será liberado para voltar a campo.

VEJA:  Suspenso por um ano por doping, meia do Atlético-GO é absolvido pelo STJD

Divulgação
STJD tomou decisão inédita no caso Rodolfo

"Estamos satisfeitos. Foi uma decisão inédita. Nunca houve nada desse tipo. É uma decisão segura juridicamente e inovadora, pois não alterou a condenação inicial, mas deu uma saída inteligente. Ela também transfere ao atleta uma responsabilidade grande para sua recuperação e isso é bom", pontuou Domingos Moro, advogado do clube no caso.

LEMBRE:  Goleiro confessa vício em cocaína depois de cair no doping

Rodolfo foi chamado à presença de alguns juízes relatores e se emocionou em diversos momentos do julgamento. Mais calmo depois da "nova oportunidade na vida", comentou o caso: "Estou mais tranquilo e com mais vontade de continuar o tratamento. Me emocionei muito durante o julgamento. Quero continuar nesse ritmo, intensificar os treinos e dar a volta por cima de maneira completa".

CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO COMPLETA DA SÉRIE B DO BRASILEIRÃO

O exame que comprovou o consumo de cocaína foi realizado após uma partida contra o CRB, no dia 9 de julho, e divulgado cerca de 20 dias depois. O próprio jogador confessou o vício na droga e se colocou à disposição do clube para tratamento.

Leia tudo sobre: Atlético-PRDopingSTJD

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG