Tamanho do texto

Depois da vitória contra o Figueirense com apenas dois dias de preparação, novo técnico só teve tempo agora para começar a aplicar sua filosofia de treinamentos

Kleina comanda treino do Palmeiras
Gazeta Press
Kleina comanda treino do Palmeiras

Chega ao fim com um treino na manhã desta sexta-feira, na Academia de Futebol, a primeira semana completa de Gilson Kleina como técnico do Palmeiras. Sem compromissos, o treinador pôde fazer um trabalho mais elaborado do que antes de enfrentar o Figueirense, quando atuou mais como psicólogo em três dias de concentração em Itu. E as atividades do substituto de Luiz Felipe Scolari já ganham elogios.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Pudemos conhecer mais o treinador e sua comissão técnica, a metodologia deles foi colocada em prática. Eles dão bons treinos", comentou Bruno, responsável por relatar como foi difícil para o ex-treinador da Ponte Preta trabalhar com o elenco antes da vitória de sábado, em Santa Catarina.

Leia mais: Henrique diz que Palmeiras já joga fora de casa e não se incomoda com punição

"Quando estávamos em Itu, ele chegou com dois dias para trabalhar. É difícil, ele não teve tempo, foi mais conhecer grupo e fazer tudo na base da conversa. Até nos chamou no quarto para acertar a bola parada", contou o goleiro, lembrando que, apesar de quatro dias de treinos técnico e tático e períodos dedicados só à parte física nesta semana, o novo chefe seguiu fazendo o que mais agradou os atletas: bateu papo para passar confiança.

"Ele não abandonou o lado da conversa, que é importante. Pela confiança que ele passa desde o primeiro dia, parece que nos conhece há 20 anos. Mesmo com o pessoal que não vem jogando, dá uma motivação a mais por ter dois auxiliares sempre olhando todos e incentivando", afirmou o camisa 1.

Veja também: Antes de julgamento, Palmeiras já visita Araraquara e Ribeirão Preto

A metodologia de Kleina e sua comissão técnica - trouxe os auxiliares Juninho e Jair, o preparador físico Fabiano Xhá e o preparador de goleiros Palha - reanimaram um grupo que teve muitos jogadores até chorando pela saída de Felipão, do seu auxiliar Flávio Murtosa, do preparador físico Anselmo Sbragia e do preparador de goleiros Carlos Pracidelli.

Bruno, um dos mais emocionados com a demissão de Pracidelli, já elogia o substituto em seu treino específico. "O Palha é uma pessoa fantástica, muito trabalhadora. Não muda muito do que tínhamos com o Carlão e outros que passaram por aqui. Passa bastante confiança, sempre conversando. E, da minha parte, é muito legal aprender com uma pessoa nova", apontou.

E ainda: Barcos lamenta calendário no Brasil, mas aposta em colegas no Palmeiras

Na busca por provar em campo as melhorias das mudanças na comissão técnica, o Verdão enfrenta a Ponte Preta neste sábado, no Pacaembu. A equipe ocupa a antepenúltima colocação do Brasileiro e está a cinco pontos do Coritiba, primeiro clube fora da zona de rebaixamento.