Zagueiro lembrou que time paulista não está jogando no Palestra Itália há um tempo para dizer que possível punição por vandalismo no Pacaembu não fará diferença para o Palmeiras

Henrique e jogadores do Palmeiras comemoram gol
Futura Press
Henrique e jogadores do Palmeiras comemoram gol

Nesta sexta-feira, em julgamento do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Palmeiras pode perder até dez mandos de campo pelos objetos atirados em campo por torcedores na derrota para o Corinthians. E a possível punição não mexe com Henrique. Até por confiar na presença da torcida em qualquer lugar, o defensor lembra que a verdadeira casa do clube, o Palestra Itália, está em reformas.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Vivemos jogando fora de casa. A torcida sempre comparece, mas o campo não é o nosso. Não faz diferença nenhuma", apontou o jogador, em discurso semelhante ao adotado pelo técnico Luiz Felipe Scolari quando o time ficou em quinto lugar na fase de classificação do Campeonato Paulista e foi obrigado a ser visitante nas quartas de final contra o Guarani - o Verdão foi eliminado.

Leia mais: Antes de julgamento, Palmeiras já visita Araraquara e Ribeirão Preto

Na luta contra o rebaixamento, Henrique está certo de que ser mandante em Araraquara, a 270 km da capital paulista, ou em Ribeirão Preto, a 313 km de São Paulo, não afastará os torcedores. "Nessa situação em que passamos, a torcida nos ajudar e incentivar conta muito. E onde jogarmos eles estarão apoiando", apostou. Antepenúltimo colocado do Brasileiro, o Palmeiras trabalha com a possibilidade de que o jogo deste sábado, contra a Ponte Preta, será sua despedida no Pacaembu. Algo que não incomoda os atletas, partidários por jogar na Arena Barueri - o que será impossível caso seja confirmada a punição que impedirá o clube de jogar a menos de 100 km de São Paulo.

Veja também: Barcos lamenta calendário no Brasil, mas aposta em colegas no Palmeiras

"O que pesa são os jogadores concentrados, pensando só nas vitórias que almejamos. Independentemente de onde jogarmos, teremos a mesma vontade e determinação", prometeu Henrique, pedindo para que seus colegas deixem de lado qualquer fato que diminua o foco na luta por manter a equipe na primeira divisão.

E ainda: Barcos e Guiñazu são convocados e viram desfalques em "decisões" do Brasileirão

"Já fomos muito prejudicados no campeonato, mas temos que nos preocupar menos com outras coisas e jogar. É esquecer um pouco de tudo isso, assimilar o que o Gilson Kleina fala e jogar futebol para sairmos dessa situação", receitou o camisa 3.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.