"Sempre fez o melhor dele aqui e seria muito bom se ele continuasse a nos ajudar", disse o arqueiro

Mesmo após Santos e São Paulo terem se acertado sobre os valores e outros detalhes referentes à ida do meia Paulo Henrique Ganso para o Morumbi, uma exigência da equipe praiana junto ao grupo DIS ainda atrapalha a conclusão do negócio . Alheio às tratativas sobre o futuro do camisa 10, o goleiro Rafael revelou que teve uma conversa com o meia nos últimos dias, no CT Rei Pelé. Segundo o arqueiro, porém, pouco se falou sobre o imbróglio.

Você quer que Ganso fique no Santos ou seja vendido? Opine!

"Ele foi ao meu quarto outro dia, no CT, e conversamos um pouco sobre isso. Perguntei como estava a recuperação dele (de lesão na coxa esquerda) e como estava a sua filha. Mas não sei de muita coisa. Ele também não. Algumas coisas fogem até do controle dele. O que a gente fica sabendo é mais através de vocês, da imprensa", disse.

VEJA:  Santos divulga nota e culpa 'pendências jurídicas' para não negociar Ganso

Neymar, Rafael e Ganso: grandes amigos no Santos
Divulgação
Neymar, Rafael e Ganso: grandes amigos no Santos

Rafael destacou que, dentro do elenco santista, mesmo com a saída de Paulo Henrique Ganso sendo uma hipótese cada vez mais provável, a esperança é de que haja uma reviravolta no caso e o meio-campista permaneça na Vila Belmiro.

MAIS:  Exigência santista com DIS trava liberação de Ganso ao São Paulo

"A gente torce para que essa ‘novela’ se encerre da melhor maneira possível, e que o Ganso fique conosco. Mas cada um vê o que é melhor para si mesmo. Eu torço para que se resolva tudo, o melhor para todo mundo. O Ganso sempre fez o melhor dele aqui e seria muito bom se ele continuasse a nos ajudar", comentou o camisa 1.

LEIA:  Grêmio diz que Ganso quer jogar no São Paulo e desiste de contratar o meia

Vale lembrar que, mesmo com os são-paulinos próximos da contratação de Ganso, o assunto precisa ser resolvido rapidamente, pois a janela de inscrições para o Campeonato Brasileiro fecha na próxima sexta-feira. A pendência entre o clube praiano e a empresa diz respeito aos 25% da venda do meia Wesley, atualmente no Palmeiras, para o Werder Bremen (Alemanha), em 2010. Os alvinegros não repassaram a quantia que a empresa tinha direito e, por conta disso, o Tribunal de Justiça de São Paulo bloqueou 20% das receitas do Santos - a penhora teve como base patrocínios e cotas de TV. O caso ainda não teve o seu julgamento definitivo.

VEJA A CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Para liberar Ganso e dar fim ao imbróglio, o clube da Baixada pretende que o grupo DIS perdoe metade da dívida, que com a correção de juros, chega ao total de R$ 8 milhões. O investidor se irritou com o pedido dos dirigentes santistas, pois entende que uma situação não tem relação com a outra e que o time da Vila Belmiro está colocando obstáculos, visando evitar uma transferência do camisa 10 para o rival.

Ajude o Santos a aumentar sua Torcida Virtual do iG Esporte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.