Tamanho do texto

Palmeiras ocupa a penúltima posição do Brasileirão, a sete pontos do primeiro time fora da zona do rebaixamento

Tiago Real, meia do Palmeiras
Futura Press
Tiago Real, meia do Palmeiras

Ao saber que a diretoria já não garantia mais o emprego de Luiz Felipe Scolari após a derrota para o Vasco, o meia Tiago Real defendeu o técnico, mas admitiu: o Palmeiras , no momento, não sabe mais onde se apegar para evitar o rebaixamento no Brasileirão . Após a derrota para o Vasco nesta quarta-feira, o time ocupa a penúltima posição, a sete pontos do primeiro clube fora da zona de rebaixamento.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Temos que encontrar forças. Não sei de onde, mas temos que encontrar e levantar a cabeça. Sei que é difícil, mas precisamos de maturidade e personalidade. Cada vez vai ficar ainda mais difícil jogar, fora de casa ou diante da nossa torcida, mas precisamos do máximo de pontos e sair dessa situação", disse Tiago Real.

E mais:  Diretoria não garante Felipão, e técnico diz que nem palestra motivacional ajuda

Recém-contratado, o jogador vindo do Joinville há duas semanas deseja que o comando da equipe seja mantido, independentemente da péssima campanha. "O Felipão não precisa provar nada para ninguém, é um grande treinador. Há dois, três meses, era o melhor do Brasil, cotado para assumir a seleção", apontou Tiago Real, lembrando da conquista da Copa do Brasil, em julho.

Acompanhe o Brasileirão em tempo real e com estatísticas no aplicativo iG Futebol

Por isso, o chefe não tem culpa na má fase do time. "Não é o Felipão, é um grupo no geral. Não é questão do treinador, é todo um conjunto. Não podemos botar só na conta do Felipão. Todos têm a sua parcela de culpa, nós, jogadores, e a diretoria também", declarou Tiago Real.

Leia também: Palmeiras não vence o Corinthians no Pacaembu há 17 anos

Além da manutenção do comandante, Tiago Real recorre à ajuda divina para evitar o segundo rebaixamento da história do Palmeiras. "Se Deus quiser, conquistaremos a vitória no clássico e podemos dar uma largada com um algo a mais", disse o meia, referindo-se ao jogo contra o Corinthians, na próxima rodada do Brasileirão.

Veja ainda:  Brasileirão tem público de países nanicos da Europa e leva banho da Argentina

Quem também solicitou ajuda divina foi o atacante Barcos. "É muito difícil, mas depende de nós. Deus queira que saiamos logo, porque estamos sofrendo demais", afirmou o argentino, que ainda lamentou a virada sofrida diante do Vasco : "Não queríamos nunca perder como perdemos. Fizemos 1 a 0 e tomamos os gols. É complicado, tudo é muito complicado."

Entre para a torcida virtual do Palmeiras

*Com Gazeta