Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google

Seleção brasileira atropela a China em Recife e faz as pazes com a torcida

Neymar balança as redes três vezes e comanda o Brasil nos 8 a 0 sobre a China, em Recife, diante dos aplausos da animada torcida pernambucana

iG São Paulo | - Atualizada às

Alguns podem até desconfiar, tamanha a fragilidade do adversário. Mas é indiscutível que a seleção brasileira cumpriu seu papel ao golear a China por 8 a 0 nesta segunda-feira, no estádio do Arruda, em Recife. Neymar marcou três vezes, Oscar, Lucas, Hulk e Ramires também deixaram suas marcas e o Brasil aplicou a maior goleada da gestão Mano Menezes.

O Brasil cumpriu seu papel diante da China ou ainda ficou devendo? Comente

Em campo, o bom desempenho ofensivo permitiu a goleada e apagou a má impressão deixada no margo 1 a 0 sobre a África do Sul na última sexta-feira, em São Paulo. Na arquibancada do Arruda, nesta segunda, a torcida pernambucana seguiu os passos do time e substituiu as vaias do público paulista por aplausos.

Copa 2014: Metrô de Itaquera não funcionará em dias de jogos em São Paulo

Mais do que fazer sorrir o torcedor, o resultado dá paz a Mano à frente da seleção. Sobretudo agora que Felipão, principal postulante ao cargo, perde espaço em razão do péssimo desempenho de seu Palmeiras no Brasileirão, no qual é sério candidato ao rebaixamento.

Confira fotos do amistoso entre Brasil e China:

O jogo
A seleção começou implacável desde o início do confronto e ameaçou o goleiro Zeng já aos 5 do primeiro tempo, quando Hulk tocou para Oscar dentro da área. O camisa 10 girou bem e encontrou Neymar livre, mas a cabeçada não foi boa e acertou apenas a trave adversária.

A superioridade no toque de bola continuava favorecendo o estilo de jogo de Hulk. A fim de recuperar seu posto no time titular, o atacante mandou chute forte para Zeng defender, aos 17 minutos. No lance seguinte, tentou por cobertura e mandou muito perto do travessão.

O goleiro chinês ainda faria boa intervenção em chute forte de Lucas, aos 20 minutos, mas não teria condições de evitar a rápida investida do volante Ramires pela esquerda, aos 22. O volante tocou para Oscar e recebeu na frente do seu companheiro de Chelsea. Ao adiantar a bola, Ramires se livrou da marcação e tocou por cima de Zeng para abrir a contagem no Arruda.

Três minutos depois, Hulk também arrancou pela direita e encontrou Oscar no mesmo lado do campo. O meia adentrou a área e cruzou rasteiro para Neymar, que só teve o trabalho de tocar para o gol vazio de Zeng. O gol empolgou o efusivo torcedor pernambucano e deixou a seleção com folga suficiente para tocar a bola sem qualquer preocupação.

A postura adotada pelo time não motivou a China a buscar o gol e manteve a superioridade nacional no duelo. Aos 32 minutos, Neymar fez boa jogada na direita e tocou para a pequena área. Embaixo do gol, o meia Oscar chutou forte e carimbou o travessão de Zeng. Na sequência, o goleiro teria trabalho para evitar a cabeçada de Dedé, aos 37, e contou com a sorte e a competência de Yang para impedir a nova conclusão do vascaíno, aos 38.

Antes que o primeiro tempo pudesse ter fim, Neymar teve outra grande chance, aos 41, mas insistiu nos dribles na frente do gol e desperdiçou a oportunidade de anotar o terceiro. No entanto, o tento não fez falta, uma vez que Lucas tratou de aproveitar a nova chance recebida entre os titulares para deixar a sua marca. Aos três minutos, o meia recebeu de Hulk e bateu forte para ampliar a vantagem da Seleção.

Sem tempo para assimilar o gol, a China viu o Brasil massacrar a sua defesa e chegar ao quarto com Hulk, aos seis minutos. O atacante aproveitou lindo chute por cobertura de Neymar, que acertou o travessão de Zeng, e concluiu de fora da área para bater o arqueiro. Já aos oito, Neymar voltou a mostrar oportunismo e recebeu cruzamento rasteiro de Marcelo na cara do gol para fazer o quinto.

O domínio exercido no segundo tempo ampliou ainda mais o apoio do torcedor nas arquibancadas e trouxe o Arruda abaixo com o terceiro gol de Neymar, marcado aos 14 do segundo tempo. O atacante do Santos concluiu o cruzamento rasteiro de Oscar na direita para superar Zeng mais uma vez.

O Brasil ainda conseguiu sofrer um susto aos 24 minutos, mas Diego Alves praticou um milagre após desvio de cabeça. No contra-ataque, a equipe pressionou a marcação e chegou ao sétimo com desvio contra de Liu Jianye. Já aos 28, Oscar aproveitou a penalidade máxima sofrida por Marcelo e bateu no canto para consolidar a goleada canarinha.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 8 x 0 CHINA

Local: Estádio do Arruda, em Recife (PE)
Data: 10 de setembro de 2012, segunda-feira
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Roberto Silveira (Fifa-Uruguai)
Assistentes: Miguel Angel Nievas e Nicolas Taran (ambos Fifa-Uruguai)
Cartão Amarelo:  Hulk (Brasil)

GOLS:
BRASIL: Ramires, aos 22, Neymar, aos 25 do primeiro tempo; Neymar, aos oito e aos 14, Lucas, aos três, Hulk, aos seis, Liu Jyanye (contra), aos 25, e Oscar, aos 28 do segundo tempo

BRASIL: Diego Alves; Daniel Alves (Adriano), David Luiz (Réver), Dedé e Marcelo; Rômulo (Sandro), Ramires (Arouca) e Oscar (Leandro Damião); Lucas, Hulk e Neymar (Jonas)
Técnico: Mano Menezes.

CHINA: Zeng; Peng, Yang, Jianye e Tang Miao; Zhao Xuri Zhao (Feng), Hao Junmin (Zhang), Lu Peng, Liu Jian e Zhu Ting; Gao Lin (Yang)
Técnico: José Camacho.


Leia tudo sobre: seleção brasileirachinafutebol mundialmano menezesneymar

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG