Torcida dão deu trégua ao Brasil na vitória magra sobre a África do Sul na sexta-feira

Muitos jogadores da seleção brasileira fizeram cara feia com as vaias recebidas no jogo contra a África do Sul no Morumbi, mas Andrés Sanchez, o diretor responsável pela equipe na CBF (Confederação Brasileira de Futebol), levanta o lado positivo: o processo de aprendizado do grupo em relação às cobranças.

Seleção mereceu ser vaidada em casa? Deixe seu comentário

"Jogar em São Paulo no Rio de Janeiro tem pressão, não há como fugir, mas é bom para jogador sentir e amadurecer, faz parte", explica o ex-presidente do Corinthians.


Leia também:  Má atuação contra a África do Sul não faz Mano mudar os planos para a Copa 2014

A ideia inicial da CBF era aproximar a seleção brasileira da torcida com a partida no Morumbi. Até por isso, foi escolhido um adversário sem grande expressão. A África do Sul ocupa somente a 74ª posição no ranking da Fifa.

Durante a partida, a equipe de Mano Menezes apresentou pouca inspiração ofensiva. Oscar, Neymar e Lucas fracassaram em praticamente todas as jogadas individuais contra a marcação dos fortes sul-africanos.

"O importante é que a seleção brasileira apresentou paciência até chegar ao gol. Não foi o jogo que queríamos, mas a vitória é importante", completa Andrés Sanchez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.