Goleiro vascaíno entende que o adversário é muito forte quando joga no Recife e falou também que o campo é pesado

Buscando nova sequência positiva no Brasileirão, o Vasco contava com uma vitória diante o Náutico nesta quarta-feira, mas teve seus planos frustrados. Os cariocas voltam dos Aflitos com um empate por 1 a 1 , mas não consideram que desperdiçaram dois pontos. "O campo é pesado, é difícil de jogar aqui. Não foi o resultado ideal, mas não dá para reclamar, não. Não é fácil jogar neste campo aqui", comentou Fernando Prass.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Náutico e Vasco fizeram um jogo movimentado nos Aflitos
Futura Press
Náutico e Vasco fizeram um jogo movimentado nos Aflitos

O goleiro vascaíno entende que o Náutico é muito forte quando joga no Recife. A equipe pernambucana tem sete vitórias em seus domínios, além de dois empates e duas derrotas. "O Náutico fez três no São Paulo (3 a 0, na 17ª rodada), três no Santos (3 a 0, na 14ª), três no Figueirense (3 a 2, na 20ª). O Fluminense não perdeu por milagre (na sétima). O Cavalieri teve uma grande atuação", lembrou o goleiro.

Confira a classificação do Brasileirão

Fernando Prass ainda lamentou o azar do Vasco, que perdeu uma das alterações feitas por Cristóvão Borges no intervalo. Auremir, que havia entrado no lugar de Jonas, sentiu lesão e foi trocado pelo jovem Alan.

"Tínhamos feito duas substituições no intervalo, que iriam melhorar o time e chegaram a melhorar. Mas perdemos o Auremir e tivemos de improvisar um menino que não tinha jogado ainda e teve de atuar fora da sua posição", destacou.

O Vasco também teve os desfalques que Juninho Pernambucano, Felipe e Dedé. Carlos Tenório, que não tinha condições de atuar os 90 minutos, teve de se sacrificar no final da partida, já que Cristóvão não podia mexer mais na equipe.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.