Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google

Neymar pede que rivais santistas não o vaiem e apenas apoiem a seleção

Santistas quer que corintianos, palmeirenses e são-paulinos esqueçam rivalidade para torcer pela seleção no Morumbi

Bruno Winckler , iG São Paulo |

Principal nome desta geração da seleção brasileira, Neymar jogará em São Paulo com a seleção pela segunda vez na carreira. E nesta sexta-feira, no amistoso contra a África do Sul no Morumbi, o santista torce para que por 90 minutos os corintianos, palmeirenses e são-paulinos que estiverem no estádio esqueçam da rivalidade para torcer por ele e seus colegas.

“Que esqueçam a rivalidade, que vão ao estádio torcer pela gente, incentivar e nos ajudar. Futebol sem torcida fica meio chato, meio ruim. A torcida é a cereja do bolo do futebol. Espero que lotem o Morumbi e que façamos ótima partida”, disse Neymar. “Aqui todos estão defendendo a seleção para um objetivo grande, a Copa do Mundo no nosso país e precisamos estar todos unidos nessa”, completou.

Neymar estava no amistoso da seleção contra a Romênia, em junho de 2011, que marcou a despedida de Ronaldo no Pacaembu. Ali viu a resistência de rivais. O atacante está acostumado às vaias e com a pressão de ser o grande referencial desta geração e diz que as vaias que recebe de rivais ou de adversários não afetam seu desempenho.

“Estou bem acostumado com as vaias. Sofri um pouco com isso lá (nas Olimpíadas), mas não mexeu com o meu futebol. Vamos entrar concentrado para fazer uma ótima partida e seDeus quiser, depois todos vão estar felizes” disse.

Em Londres, durante a disputa dos Jogos Olímpicos, o estilo “cai-cai” do jogador irritou os ingleses. Foi vaiado em quase todos os jogos da seleção, em especial no amistoso contra a Grã-Bretanha, antes da estreia.

Leia tudo sobre: seleção brasileiracorinthianspalmeirassantossão paulorivalidade

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG