Atacante de 43 anos realizou o seu primeiro treino, mas disse que ainda não tem condições de atuar pela equipe carioca

De volta ao Botafogo , clube onde viveu a melhor fase de sua carreira e onde quer marcar os sete gols restantes para chegar ao seu milésimo gol, Túlio Maravilha realizou o primeiro treino após o seu retorno para o time carioca.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Em busca do milésimo gol, Túlio Maravilha (à esq.)  fez seu primeiro treino pelo Botafogo
Flickr/Botafogo
Em busca do milésimo gol, Túlio Maravilha (à esq.) fez seu primeiro treino pelo Botafogo

Realizando testes físicos sob a supervisão de fisiologistas do clube, Túlio mostrou bom preparo físico nos oito minutos em que correu no gramado do estádio Caio Martins, para a alegria dos cerca de 35 torcedores presentes nas arquibancadas.

Leia mais:  Gandula musa vira modelo no lançamento da camisa rosa do Botafogo. Veja fotos

Surpresa para parte da imprensa e da própria torcida botafoguense, o fôlego mostrado por Túlio, de 43 anos, é fruto das atividades físicas realizadas pelo atacante no período em que esteve longe dos gramados.

"Estava me preparando para esse momento, quatro meses de praia e academia. Ainda não tenho ritmo de jogo, mas acho que, para um atleta de 43 anos, passei bem no teste. Me sinto um garoto", analisa.

Especialista em marketing pessoal, Túlio fez questão de relembrar os gols marcados no gramado do estádio. "Tenho ótimas lembranças do estádio Caio Martins, foi aqui que surgiu o apelido ‘Maravilha’. A torcida comparecendo me dá ainda mais motivação para esta reta final para fazer os sete gols", completa.

Apesar da presença da torcida, que gritou o nome do jogador e pediu autógrafos no final das atividades, Túlio rejeitou a ideia de jogar o Campeonato Brasileiro pela equipe principal do Botafogo.

"Não é hora de pensar em jogar profissionalmente. O negócio é me preparar para o dia 15 (quando enfrenta o Tupi com o time sub-23 do Alvinegro) e depois pensar em qualquer coisa. Está muito cedo para pensar nisso", conclui.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.