Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google

Ex-desafeto da torcida, Luan completará 100 jogos pelo Palmeiras

Depois de ficar 14 jogos parado por uma lesão na coxa, atacante voltou no jogo contra o Grêmio para sua 99º partida

Gazeta |

Gazeta Press
Luan, do Palmeiras, foge da marcação gremista

Nesta quinta-feira, Luan terá uma sensação que, há pouco mais de um ano, imaginou ser impossível. Diante do Sport , no Pacaembu, o atacante completará 100 jogos pelo Palmeiras . E em uma situação completamente diferente das seguidas vaias de seu início no clube, já que foi um dos mais aclamados antes da partida de sábado, contra o Grêmio.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Em 2011, Luiz Felipe Scolari ouviu críticas por incentivar a diretoria a investir 3 milhões de euros (cerca de R$ 7 milhões na época) para ter o camisa 11 em definitivo. Nesse período, o atleta duvidou que teria uma centena de jogos no clube. "Esse pensamento vem mesmo. Mas sempre foquei bastante no que sou bom em fazer e peguei força na família para conseguir completar esses 100 jogos", contou.

Leia mais: Palmeiras termina rodada em 18º, a cinco pontos de deixar a zona de rebaixamento

A prova da mudança da avaliação da torcida em relação em Luan foi no sábado. Só Barcos foi mais aclamado antes do 0 a 0 com o Grêmio. Nem Luiz Felipe Scolari recebeu tantos aplausos e gritos de incentivo do que quando apareceu o rosto do atacante que atuava pela primeira vez desde a final da Copa do Brasil contra o Coritiba, quando aumentou a gravidade de uma lesão na coxa direita ao jogar na decisão no Paraná.

Veja também: Ferido em "guerra" da estreia, Tiago Real aceita reserva de Valdivia

"A torcida sempre pegou no meu pé um pouco mais do que no dos outros. Mas torcida é assim mesmo: quando você faz por merecer, eles te agradecem", comentou o camisa 11, no clube desde a metade de 2010. "Estou superfeliz por completar 100 jogos no Palmeiras, uma equipe grande. Sabemos que é um número muito difícil."

E ainda: Desafeto de Kleber, Felipão afirma que vontade do atacante 'ultrapassa o limite'

Agora, a promessa é por ajuda para tirar o clube em que apostou da zona de rebaixamento. "No departamento médico, não víamos a hora de sair. Era angustioso ver os colegas indo passar de chuteira e nós querendo trabalhar, sentindo bastante por não podermos ajudar o Palmeiras nessa situação", comentou o jogador, que diz só ter sido sacado durante o jogo de sábado para não correr o risco de se machucar de novo.

Entre para a torcida virtual do Palmeiras:

Leia tudo sobre: luanpalmeirasbrasileirão 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG