Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google

André e Bill não aproveitam ‘chuveirinhos' com Santos pouco criativo

Sem Neymar e Ganso, a principal opção para o Santos na derrota por 2 a 1 contra o Sport foi a bola aérea

Gazeta |

Sem contar com Paulo Henrique Ganso, seu principal armador de jogadas, e Neymar, jogador fundamental no esquema tático de Muricy Ramalho, o Santos foi superior ao Sport no segundo tempo, mas marcou apenas uma vez e não evitou a derrota por 2 a 1 na Ilha do Retiro, neste domingo. A principal estratégia do time da Baixada Santista na partida foram os levantamentos de bola dentro da área, os famosos ‘chuveirinhos’.

Leia também:  Sport derrota o Santos, que não teve Neymar e Ganso, e sobe na tabela

"No meu modo de ver o time jogou até bem, mas tomou dois gols muito rápido (aos 2 e aos 35 do primeiro tempo) e depois teve que ficar levantando a bola na área, o que não é a característica do time", relatou o atacante André, único a aproveitar um ‘chuveirinho’, aos seis minutos do segundo tempo, diminuindo a vantagem e criando esperanças no torcedor santista. Em vão.

O Santos sem Neymar e Ganso é um bom time? Deixe seu comentário!

Com Juan, depois Gérson Magrão e por último Bernardo pela esquerda, além de Bruno Peres, Patito e Victor Andrade pela direita, o Peixe apostou nos cruzamentos e também teve Bill para desperdiçá-los a partir dos 26 minutos. "Não deu para vencer, mas o time mostrou que queria a vitória até o último minuto. Infelizmente não deu, mas temos que nos levantar e buscar mais pontos", garantiu o substituto de Magrão, camisa 10 do Santos na tarde.

Depois de três vitórias consecutivas com o time completo, o Peixe atingiu sua segunda derrota neste domingo - na última quarta, perdeu para o Bahia em plena Vila Belmiro e repetiu o feito neste domingo, diante do Sport. Assim, a 12ª colocação segue como realidade do clube, que soma 26 pontos.

Leia tudo sobre: SantosAndréBillbrasileirão 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG