Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google

Ex-parceiro do Corinthians perde causa judicial contra dono do Chelsea

Boris Berezovsky, antigo parceiro da MSI durante passagem pelo Corinthians, foi derrotado por Roman Abramovich em tribunal de Londres

iG São Paulo |

Reprodução/TV
Boris Berezovsky lamentou decisão judicial na Inglaterra

O magnata russo Boris Berezovsky perdeu nesta sexta-feira uma batalha judicial contra o dono do Chelsea , Roman Abramovich, por conta da venda de uma empresa de petróleo na Rússia no início dos anos 2000.

Berezovsky, ex-parceiro de Kia Joorabchian e da MSI (controladora do futebol do Corinthians entre 2004 e 2006) exigia o pagamento de mais de US$ 5 bilhões (R$ 10,1 bilhões) por perdas e danos.

Leia também: Roman Abramovich monta o time do Chelsea 2012/2013

"(Winston) Churchill (ex-primeiro ministro britânico) certa vez disse que a democracia era ruim, mas que não havia nenhum regime melhor. Hoje tenho lá minhas dúvidas se essa frase estava correta vendo o que fez a justiça inglesa", disse Berezovsky na saída do tribunal. O magnata alega que vendeu a empresa por um preço muito menor do seu valor por ter sido ameaçado por Abramovich. Ele tentará um apelo para rever a decisão tomada nesta sexta-feira.

E mais:  Crise financeira quase levou Roman Abramovich a vender Chelsea em 2008

O julgamento se referia às condições de venda da petroleira Sibneft, vendida por Berezovski ao seu ex-sócio Abramovich em 2001. Berezovski, de 66 anos, opositor declarado do governo russo e exilado desde 2000 na capital britânica, acusa Abramovich de tê-lo obrigado, mediante "ameaças e intimidações", a vender suas ações da Sibneft por 1,3 bilhão de dólares, uma fração de seu valor real.

Berezovski tem fortuna estimada 500 milhões de libras (R$ 1,6 bilhão), contra os 10,8 bilhões (R$ 34 bilhões) de Abramovich. Segundo ele, o governo russo expropriaria as ações se ele não as vendesse. No entanto, durante o litígio, Abramovitch declarou que Berezovski nunca teve ações da empresa Sibneft, e que o valor de 1,3 bilhão de dólares que este último recebeu em 2001 foi um gesto de "reconhecimento por sua ajuda política e proteção" durante a criação da empresa.

Abramovich vendeu a Sibneft à empresa estatal Gazprom por 13 bilhões de dólares em 2005. Próximo ao ex-presidente russo Boris Yeltsin, Berezovski fez fortuna durante as polêmicas privatizações do espólio da União Soviética no início dos anos 1990. Condenado várias vezes pela justiça russa, ele não tem autorização para voltar ao seu país natal.

Berezovsky foi preso em 1992 na Rússia, por roubo de propriedade do governo russo, e investigado pela polícia inglesa e pela Uefa, entidade máxima do futebol na Europa, por conflito de interesses nos seus investimentos em clubes que disputam as mesmas competições. Seu nome foi associado ao Corinthians durante as investigações sobre lavagem de dinheiro da MSI durante sua passagem pelo clube paulista.

Leia tudo sobre: rússiapetróleoboris berezoskycorinthianschelsearoman abramovich

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG