Tamanho do texto

Meia tem sido alvo de críticas da torcida e do presidente do Santos após declarar que seria um prazer atuar no clube do Morumbi

Paulo Henrique Ganso, meia do Santos
Divulgação
Paulo Henrique Ganso, meia do Santos

Ao dizer que seria um prazer defender o São Paulo , o meia Paulo Henrique Ganso passou a receber críticas da maior torcida organizada do Santos e do presidente do clube, Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro. O técnico Muricy Ramalho, no entanto, não viu problemas na declaração e saiu em defesa do camisa 10.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Vocês (jornalistas) perguntaram para ele, que vai responder e não quer ser deselegante com ninguém, seja pessoa ou clube", disse Muricy. "O que ele falou não tem nada de mais. Ele quis ser elegante e as pessoas entenderam mal. Às vezes, a pessoa fala para não ser deselegante, não porque queira. Se a gente vê só maldade, não dá certo", completou.

Acompanhe o Brasileirão em tempo real e com estatísticas no aplicativo iG Futebol

Apesar de ter defendido Ganso, o comandante santista voltou a cobrar do atleta uma rápida resolução para que esse problema não o prejudique no futuro. "Ele voltou a jogar bem, só que esse monte de coisa em torno atrapalha. Não é o meu papel conversar com o Ganso, porque eu apenas cobro se ele joga bem ou mal. Tem muita gente para administrar a carreira dele, mas esse pessoal precisa orientá-lo. Se quiserem levá-lo, que paguem a multa e acabou. Até porque o Santos não tem interesse em se desfazer dele. E ele não quer sair", declarou.

Relembre a história do Brasileirão, de 1971 a 2011, no infográfico do iG

O técnico ainda pediu calma aos torcedores, para não que o clima de Ganso no Santos não fique ainda mais pesado. "A torcida vai entender que ele é importante para a gente. Eu peço apoio da torcida ao Ganso, que nunca mostrou vontade de sair, nem para a gente", concluiu.

Entre para a torcida virtual do Santos

*Com Gazeta