Tamanho do texto

Com gols de William, Elton e Pedro Ken, o time comandado por Paulo César Carpegiani ganhou a partida por 3 a 1

Precisando vencer para recuperar a liderança provisória do Criciúma, o Vitória viajou para Fortaleza e não teve vida fácil diante do Ceará. Antes apontados como favoritos ao acesso, os cearenses não conseguiram encerrar as oscilações na Série B do Campeonato Brasileiro e sofreram virada dos visitantes: 3 a 1.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Empurrado pela torcida que lotou o estádio Presidente Vargas, o Ceará abriu o placar no início do jogo em cobrança de pênalti do artilheiro Mota. O ímpeto dos mandantes foi diminuindo e a vontade dos baianos em reassumir a ponta tabela foir maior. Com gols de William, Elton e Pedro Ken, o time comandado por Paulo César Carpegiani conseguiu a virada para alcançar a melhor campanha da história no primeiro turno da Série B.

Clique aqui e confira a classificação da Série B

Para dar início ao returno da competição nacional, as duas equipes voltam a campo já na próxima terça-feira. O Vitória recebe o Grêmio-SP às 19h30 (de Brasília) no Barradão, enquanto o Ceará viaja para Belo Horizonte, onde encara o América-MG na Arena Independência, às 21h50.

Jogadores do Vitória celebram gol marcado contra o Ceará
Futura Press
Jogadores do Vitória celebram gol marcado contra o Ceará

O jogo

A necessidade dos dois times pela vitória deixou o início da partida muito movimentado e cheio de espaços para os ataques. Logo aos dez minutos, o lateral esquerdo Márcio Careca mandou para Mota na grande área e o centroavante foi derrubado pelo zagueiro Victor Ramos. Na cobrança, o artilheiro do Ceará não vacilou e bateu sem chances para o goleiro Deola.A dificuldade dos jogadores para criar jogadas ofensivas deixou o duelo travado no meio de campo e o Ceará passou a apostar na forte marcação de seu trio de volantes. Após uma sequência de faltas duras, quando o árbitro Ricardo Marques Ribeiro aplicou quatro cartões amarelos em cinco minutos, o Vitória chegou ao empate.

O atacante Elton, ex-Corinthians, fez grande jogada pelo lado esquerdo do campo e rolou para o centroavante William apenas empurrar para as redes de Fernando Henrique, fazendo a torcida esquecer mais rapidamente o artilheiro Neto Baiano, que se transferiu para o futebol japonês.

O placar igualado fez com que os ataques voltassem mais acordados para a segunda etapa. Mais eficiente, o time baiano chegou à virada aos sete minutos em gol de Elton. O garoto Willie invadiu a área e serviu o atacante cara a cara com Fernando Henrique, que nada fez após o chute de Elton: 2 a 1.

Lançado pelo técnico PC Gusmão ainda no intervalo na vaga do volante João Marcos, o atacante Robert tentou responder logo na sequência, mas parou em grande defesa de Deola. O desesperdo cearense facilitou para os contra-ataques rubro-negros. Em um deles, o meia Pedro Ken recebeu na área e tirou do goleiro para ampliar a vantagem no PV.

Mais uma vez o Ceará buscou reagir de imediato, agora com Mota, e novamente esbarrou na boa atuação do ex-palmeirense Deola, que ainda salvou outra finalização de Robert. Do lado do Vitória, o triunfo quase virou goleada quando o William carimbou o travessão em cabeçada, mas o 3 a 1 permaneceu no placar em Fortaleza.

FICHA TÉCNICA
CEARÁ 1 X 3 VITÓRIA

Local: Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza (CE)
Data: 24 de agosto de 2012, sexta-feira
Hora: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Ubirajara Ferraz Jota (PE) e Márcio da Silva Oliveira (RN)

Cartões amarelos: Paulo Sérgio, Heleno e Juca (Ceará); Nino Paraíba, Uelliton, Victor Ramos e Tartá (Vitória)

Gols:
CEARÁ: Mota (pênalti), aos 11 minutos do primeiro tempo
VITÓRIA: William, aos 37 minutos do primeiro tempo; Elton, aos 7, e Pedro Ken, aos 21 minutos do segundo tempo

CEARÁ: Fernando Henrique; Paulo Sérgio, Thiego, Daniel Marques e Márcio Careca; Heleno, João Marcos (Robert), Juca (Magno) e Bruninho (Robston); Mota e Itamar
Técnico: PC Gusmão

VITÓRIA: Deola; Nino Paraíba, Victor Ramos, Gabriel Paulista e Gílson; Michel, Uelliton (Rodrigo Mancha), Pedro Ken e Willie (Rodrigo Costa); William e Elton (Tartá)
Técnico: Paulo César Carpegiani