Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google

Time de Eto'o manda jogo em Moscou, mas sofre com racismo de torcedores

Anzhi, de região separatista, foi hostilizado por moradores da capital que foram ao estádio ver jogo da Liga Europa

iG São Paulo | - Atualizada às

O Anzhi Makhachkala, ex-time do lateral Roberto Carlos e que atualmente tem três brasileiros no elenco - além do astro camaronês Samuel Eto'o -, sofreu com racismo na última quinta-feira, na Rússia. Proibida pela Uefa (União das Federações Europeias de Futebol) de jogar na cidade de Makhachkala em virtude da violência na região separatista do Daguestão, a equipe amarela se viu obrigada a mandar seus jogos em Moscou, mas sofreu com manifestações hostis de torcedores da capital que foram ao estádio do Lokomotiv para ver a vitória do Anzhi sobre o AZ Alkmaar-HOL, pelos playoffs da Liga Europa.

AP
Anzhi sofreu com racismo de torcida em Moscou

Deixe seu recado e comente a notícia com outros internautas

Os moscovitas ofenderam racialmente os jogadores do Anzhi e atiraram objetos em campo. Alguns foram fotografados fazendo saudações nazistsa e gritando frases como "A Rússia é para os russos" e "Caucasianos, vão para casa". Os torcedores disseram que estavam protestando contra o clube do Daguestão por jogar as suas partidas em Moscou.

VEJA:  Na Bulgária, jogador sofre com racismo da própria torcida e até de seguranças

Após o jogo, o técnico holandês do Anzhi, Guus Hiddink, criticou o comportamento dos torcedores: "Eu não tenho certeza se eles eram torcedores de futebol de verdade", disse. "Eu acho que foi uma provocação contra nosso clube. Eu não sei o que a Uefa vai fazer a seguir. Eles podem nos pedir para jogar em outro lugar." O atacante Lakhiyalov foi ainda mais direto: "Acho que seria melhor se nós jogássemos nossos jogos em casa na Europa, ao invés de em Moscou".

LIGA EUROPA:  Liverpool vence com gol contra e Hernanes marca em vitória da Lazio

AP
Eto'o em ação: Anzhi venceu AZ-HOL por 1 a 0

Os problemas com a multidão de quinta-feira foram os mais recentes de uma série de violências de torcedores no futebol russo. Também na quinta, a polícia de São Petersburgo abriu um processo criminal após vários torcedores do Anzhi serem atacados por torcedores locais na capital do norte da Rússia. Na semana passada, vários torcedores do Zenit de São Petersburgo disseram que foram espancados pela polícia e por agentes de segurança do estádio após um jogo da liga contra o Anzhi em Makhachkala.

Um dos torcedores, Alexander Makasin, foi internado nesta sexta-feira em uma unidade de tratamento intensivo em São Petersburgo com danos no baço e outros ferimentos internos. Em março, um torcedor jogou uma banana no zagueiro congolês Christopher Samba do Anzhi em um jogo da liga no Estádio Lokomotiv.

Apesar dos problemas em Moscou, o Anzhi agradeceu à polícia da capital por ter mantido a ordem e protegido seus torcedores no estádio do Lokomotiv durante o jogo da Liga Europa  "Gostaríamos de agradecer especialmente o Lokomotiv Football Club por oferecer sua casa para o nosso jogo. Também queremos agradecer a polícia de Moscou por fornecer um alto nível de segurança durante a partida", afirmou o clube, em comunicado.

Leia tudo sobre: Futebol MundialRússiaEto'oRacismoLiga Europa 2013

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG