Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google

Passeio em praia do Rio com dirigentes aproxima renovação de Felipão

"Vamos pensar com carinho e organizar tudo a partir de agora", disse o treinador após a classificação do Palmeiras na Copa Sul-Americana

Gazeta |

O Palmeiras já pensa em 2013. Não só na disputa da Libertadores, mas também nas eleições presidenciais. E o atual mandatário, Arnaldo Tirone, iniciou no Rio de Janeiro, em meio à viagem para enfrentar o Botafogo e se classificar na Copa Sul-Americana , um trabalho para garantir poderosa arma para sua manutenção no poder. Um bate-papo com Luiz Felipe Scolari encaminhou a renovação de seu contrato, que acaba em dezembro.

E MAIS: "Ninguém me quer", lamenta Felipão sobre convites para Copa de 2014

A conversa foi revelada pelo próprio técnico. Estiveram presentes, além do treinador e de Tirone, o vice-presidente de futebol Roberto Frizzo, que chegou a ser desafeto de Felipão, e o diretor financeiro Antonio Henrique Silva. Scolari soube do projeto para a próxima temporada e olhou com carinho maior a possibilidade de uma permanência que ele chegou a descartar publicamente em maio.

Futura Press
Felipão deve permanecer no Palmeiras em 2013

"Foi muito bom ter estado com o Antonio, o Seu Frizzo e o presidente. Fizemos uma bela caminhada na praia conversando sobre o futuro do Palmeiras. Agora é sufoco, mas, para o ano que vem, foi interessante o plano que foi projetado", contou o técnico, ainda tentando livrar o time do rebaixamento no Brasileiro e na briga por título na Copa Sul-americana.

CONFIRA:  Felipão fala em ‘doação’ para blindar grupo e ‘cortar a língua’ de dedo-duro

"Vamos pensar com carinho e organizar tudo a partir de agora. Se começarmos a organizar a partir de agora, tanto eu, como técnico, quanto o Palmeiras, como clube, teremos uma visão total do que pode ser conseguido. Se não for assim, fica um pouco difícil", continuou o treinador, em forma até de exigência por um plano estruturado para a equipe caso ele confirme sua opção por renovar.

Além de ter gostado do que ouviu no passeio em praia carioca - e também do título da Copa do Brasil, que aumentou sua aprovação entre dirigentes, conselheiros e torcedores do Verdão -, um dos fatores que fizeram Felipão cogitar ficar mais tempo foi a baixa procura por seu nome para trabalhar na Copa do Mundo de 2014, inclusive na Seleção Brasileira. "Ninguém me quer, fazer o quê? Eu quero, gosto muito e coisa e tal, mas ninguém me quer", sorriu.

SUL-AMERICANA:  Botafogo sufoca no fim, vence o Palmeiras, mas paulistas vão às oitavas

Até para convencer o técnico, Tirone e Antonio Henrique Silva prometeram já garantir reforços para a próxima temporada, além da busca de alguns atletas da Série B para aumentar o elenco ainda neste ano. "Pelo que ouvi do presidente e do Seu Antonio, faremos algumas contratações a partir de agora. Mesmo sem jogar o Brasileiro, deixarão tudo alinhavado. Falamos de três, quatro jogadores de excelente qualidade", animou-se Scolari.

Partiu do próprio treinador o assunto durante sua entrevista coletiva após o jogo contra o Botafogo, no Engenhão. Uma prova de sua praticamente consolidada alteração nos planos. Há três meses, Felipão declarou na TV Gazeta, que sairia do Palmeiras ao final de seu contrato, em dezembro, depois de dois anos e meio no cargo. Admitiu mudar de ideia em meio à festa pela Copa do Brasil, no mês passado.

Leia tudo sobre: palmeirasfelipãocopa sul-americana 2012

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG