Após o Brasil deixar escapar a medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres, surgiram especulações sobre uma possível saída de Mano

Agência Estado

Marin em conversa com Mano
Mowa Press
Marin em conversa com Mano

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, afirmou nesta terça-feira que a entidade não pretende demitir o técnico da seleção brasileira, Mano Menezes. Ele, porém, não garantiu a permanência do treinador no posto até a Copa do Mundo de 2014.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Não há nenhuma razão para cogitar uma mudança no momento. Estamos no caminho certo", declarou Marin durante entrevista coletiva em que a MasterCard foi anunciada como nova patrocinadora da seleção.

Leia mais: CBF acerta novo acordo de patrocínio para a seleção brasileira

Depois de o Brasil deixar escapar a medalha de ouro na Olimpíada de Londres este mês, surgiram especulações sobre uma possível saída de Mano. Apesar da derrota para o México na final, Marin disse que tanto o treinador, quanto sua comissão técnica e o diretor de seleções da CBF, Andrés Sanchez, continuam "desfrutando de total confiança" em seus cargos.

A conquista da medalha de ouro olímpica era vista como principal aliada de Mano para dar mais sustentação ao seu trabalho na seleção brasileira, na qual ele ainda não conseguiu convencer e acumulou resultados negativos na maioria das partidas contra seleções do primeiro escalão do futebol mundial.

Veja também:  Empresário de Guardiola nega contatos com seleção brasileira

Marin, entretanto, deixou claro nesta terça-feira que segue valorizando o trabalho geral realizado por Mano, que assumiu a seleção brasileira após a Copa do Mundo de 2010, depois de Muricy Ramalho ter recusado uma proposta feita por Ricardo Teixeira, então presidente da CBF.

O novo mandatário da entidade enfatizou que o técnico, sua comissão e Andrés Sanchez "terão tranquilidade para continuar trabalhando" na seleção, apesar da grande pressão por resultados sofrida pelo comandante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.